Tamanho do texto

Weintraub compartilhou notícia da proibição de palestra com ex-candidato à presidência e disse que “tigrada precisa saber que os brasileiros acordaram”

Ministro Abraham Weintraub brincando com guarda-chuva diante da bandeira do Brasil arrow-options
Reprodução/Youtube
Ministro Weintraub, que costuma brincar nas redes, falou sobre proibição de palestra

Por meio de uma rede social, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, deixou clara a sua posição sobre a proibição de debate com Guilherme Boulos, ex-candidato à presidência pelo PSOL. “O Brasil está mudando! Essa tigrada precisa saber que os brasileiros acordaram”, pontuou.

Boulos foi informado pela direção do Instituto Federal do Paraná (IFPR) que encontro com estudantes marcado nesta sexta-feira (9) não poderia ser realizado dentro da instituição. Em um vídeo nas redes sociais, o líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto ( MTST ) classificou o ato como uma censura e convocou alunos para reunião do lado de fora do campi.

Leia também: Boulos denuncia censura à sua palestra no Instituto Federal do Paraná 

Contra a “ideologia” política na educação

Conhecido pelas frases polêmicas e brincadeiras constantes, principalmente nas redes sociais, Abraham Weintraub é o segundo ministro da Educação do governo de Jair Bolsonaro.

Uma das polêmicas da pasta já sob o comando do ministro envolvia política e sala de aula: no dia 30 de maio, momento em que o Brasil recebeu uma série de protestos contra contingenciamento de gastos nos órgãos federais de educação, uma portaria do MEC pediu que alunos, pais e professores flagrados falando de protestos ou indo a protestos em horário de aula fossem denunciados à ouvidoria do órgão.