Tamanho do texto

Depois das eleições, o deputado virou crítico de Jair Bolsonaro e causou atritos dentro do partido. Após a expulsão, Frota disse que não vai recorrer

IstoÉ

Alexandre Frota arrow-options
Reprodução/Wikipedia
Alexandre Frota afirmou que não irá recorrer da decisão tomada pelo PSL.

Após as eleições, o deputado federal Alexandre Frota (PSL-SP) virou um grande crítico do presidente Jair Bolsonaro e alvo de polêmicas dentro da sigla. Ele foi alvo de dois pedidos de expulsão do PSL, um feito pelo senador Major Olímpio (PSL-SP) e outro pela deputada Carla Zambelli (PSL-SP). Agora, segundo a Folha de S. Paulo, ele sofreu retaliações partidárias.

Leia também: Bolsonaro elogia Maia por aprovação da reforma da Previdência

De acordo com a publicação, Frota foi tirado da vice-liderança do PSL e da comissão que debate a reforma tributária na Câmara. O partido também tirou dirigentes indicados por ele ao comando do PSL de Cotia (SP).

O parlamentar afirmou que não vai recorrer do pedido de expulsão do PSL. O Conselho de Ética do partida vai analisar o caso, mas nem a parlamentar que fez a queixa sabe quem vai analisar a denúncia.