Tamanho do texto

Agentes cumprem 85 mandados, 30 deles de prisão e 55 de busca e apreensão; esquema entregava pelo menos R$ 1 milhão por mês ao crime

Operação da PF arrow-options
Divulgação
Operação da PF em sete estados mira núcleo financeiro de facção criminosa

A Polícia Federal (PF)deflagrou nesta terça-feira, em sete estados, a  Operação Cravada  contra o núcleo financeiro de uma das maiores facções criminosas do país. Os agentes cumprem 30 mandados de prisão e outros 55 de busca e apreensão São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Mato Grosso do Sul, Acre e Roraima. Até às 7h30, 18 pessoas tinham sido presas.

Leia também: Para Bolsonaro, governadores do Nordeste querem "dividir o País"

De acordo com a PF, o grupo investigado é responsável por recolher e gerenciar, em âmbito nacional, as contribuições financeiras destinadas à facção . A investigação constatou inicialmente que parte do controle era feito de dentro da Penitenciária Estadual de Piraquiara, na Região Metropolitana de Curitiba (PR). Dos 30 mandados de prisão, oito são cumpridos dentro de presídios em São Paulo, Paraná e Mato Grosso do Sul.

A PF estima que a circulação de recursos entregava pelo menos R$ 1 milhão por mês às contas utilizadas para beneficiar a facção. Os pagamentos eram chamados de "rifas" e chegavam de maneira intercalada como estratégia para dificultar o rastreamento.

Leia também: Ministro do STF liberta menores condenados por estupro, homicídio e tortura

Ainda no escopo da operação , foram bloqueadas mais de 400 contas bancárias suspeitas em todo o país. Os valores das transações eram utilizados para comprar drogas e armas de fogo, além de providenciar transporte e estadia dos integrantes e familiares de membros da facção em locais próximos a presídios.