Tamanho do texto

Lobista Jorge Luz relatou, em delação, que a fabricante de armas pagou propina para uma conta sua na Suíça em troca de influência junto à Previ

Taurus arrow-options
undefined
Lobista conta em delação premiada que recebeu propina da Taurus

Em delação premiada homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), o lobista Jorge Luz afirmou que a Taurus pagou propina para uma conta sua na Suíça em troca de influência junto à Previ, fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil, que detinha 24,4% de participação na empresa. É a primeira vez que a fabricante de armas aparece em uma delação da  Lava Jato .

Leia também: PF deflagra 62ª fase da Lava Jato e mira doações eleitorais do Grupo Petrópolis

Segundo investigadores do Ministério Público Federal, os repasses totalizaram US$ 1,9 milhão, feitos em 2011, e tiveram origem em contas no Panamá e nos Estados Unidos que seriam pertencentes aos antigos sócios da Taurus , Luís Estima e Fernando Estima — eles já deixaram a empresa.

Após receber a propina, Jorge Luz relata que teria repartido os valores com o então presidente da Previ, Ricardo Flores, e o ex-deputado petista Candido Vaccarezza, hoje filiado ao Avante, na proporção de um terço para cada.

Leia também: Witzel diz que fará convênio para retirar moradores das ruas do Rio

A Taurus disse, em nota, desconhecer a acusação. “Seus atuais gestores e controladores desconhecem completamente os mencionados fatos. As pessoas referidas não são administradores e tampouco acionistas relevantes da companhia. Desde a mudança do controle em 2015, a companhia vem seguindo os mais rígidos e estritos padrões de conformidade”, afirmou.