Tamanho do texto

Alvo de irregularidades , navio-sonda Vitória 10 000 vai a leilão em setembro

Bumlai arrow-options
Valter Campanato/Agência Brasil
Amigo de Lula, Bumlai vai cumprir prisão domiciliar com tornozeleira eletrônica

A juíza Carolina Lebbos, da 12ª Vara de Execução Penal, determinou que o pecuaristaJosé Carlos Bumlai passe a cumprirprisão domiciliar , com tornozeleira eletrônica. A instalação da tornozeleira está marcada para o dia 15 de agosto. O cumprimento antecipado da pena foi decidido pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), após o julgamento dos recursos apresentados à segunda instância.

Leia também: Lula manda carta para presidente da OAB: "Tiranos não suportam"

Ainda não está decidido se Bumlai continuará em sua residência em São Paulo ou se irá para Mato Grosso do Sul, onde mora sua família.

Bumlai, amigo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, foi condenadoa 9 anos e 10 meses de reclusão por gestão fraudulenta de instituição financeira e corrupção. A ação se refere a um empréstimo de R$ 12 milhões concedido em 2004 pelo Banco Schahin a Bumlai. O dinheiro seria repassado ao PT em troca de um contrato da Schahin Engenharia para operar o navio-sonda Vitória 10.000 para a Petrobras - um contrato de US$ 1,562 bilhão por dez anos, renovável por mais dez.

Com a apuração das irregularidades, a Petrobras rescindiu o contrato com a Schahin. O navio-sonda ficou parado e irá para leilão no próximo dia 18 de setembro por pregão eletrônico. Ele está fundeado no campo de Badejo, na Bacia de Campos, no Rio de Janeiro. O valor mínimo de venda, atribuído pela Petrobras, não foi divulgado.

A defesa de Bumlai já apresentou recurso aos tribunais superiores. O pecuarista também foi condenado a pagar R$ 82,4 milhões em multa e reparação de danos.

Leia também: "Sou grato ao Queiroz", diz deputado que rasgou placa de Marielle

Bumlai foi também condenado, em primeira instância, na ação que envolve o sítio de Atibaia a 3 anos e 9 meses de prisão pelo crime de lavagem de dinheiro. A pena ainda não foi confirmada pelo TRF-4.

    Leia tudo sobre: Lula