Tamanho do texto

Deputada Gleisi Hoffmann afirmou que pedido foi baseado em abuso de autoridade. Portal afirma que pedido de prisão e afastamento de cargo também foram pedidos na peça de denúncia contra Moro

O Partido dos Trabalhadores ( PT ) protocolou na manhã desta sexta-feira (26) uma “notícia de crime” (comunicação de uma infração ilegal a autoridades competentes) sobre o ministro Sérgio Moro. Segundo o portal O Antagonista, a peça pede, ainda, prisão do ministro e afastamento dele de cargos públicos. 

Leia também: Moro edita portaria sobre deportação de estrangeiros "perigosos"; Glenn critica

O anúncio da denúncia de Moro foi feito pela presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), deputada Gleisi Hoffmann. Ela afirmou que o ministro agiu em "flagrante abuso de autoridade nos termos da Lei 4.898/65" quando telefonou para autoridades e disse que elementos de provas seriam destruídos.

Pouco após o anúncio da prisão dos supostos hackers que invadiram contas do Telegram de membros dos três poderes brasileiros, o ministro afirmou, nas redes sociais, que as vítimas que tiveram contas hackeadas seriam notificadas pela Polícia Federal ou pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública. 

Leia também: Moro sugere que material obtido por hackers seja destruído; Marco Aurélio rebate 

"As centenas de vítimas do hackeamento ilegal têm o direito de saber que foram vítimas . Só estão sendo comunicadas. Não tenho lista, só estou comunicando alguns", justificou o ministro no Twitter. 

Em nota enviada pelo Superior Tribunal de Justiça, também na quinta-feira, foi informado que Moro entrou em contato com o presidente do tribunal, João Otávio de Noronha, recebeu pedido do ex-juiz para que as provas fossem destruídas, preservando intimidade dos envolvidos.