Tamanho do texto

Jornalista do The Intercept Brasil alega que sua fonte não foi responsável por hackear o telefone celular do ministro da Justiça e de outras autoridades

Glenn arrow-options
Edilson Rodrigues/Agência Senado - 11.7.19
Glenn Greenwald revelou conversa em que suposta fonte nega ter invadido Telegram de Moro

O jornalista Glenn Greenwald, do site The Intercept Brasil , divulgou, nesta sexta-feira (26), um trecho de uma conversa com a suposta fonte responsável por compartilhar mensagens particulares do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro e de procuradores da Operação Lava Jato. 

Leia também: Verdadeiros mandantes do crime: PF quer saber quem pagou os hacker

Essa foi a primeira vez que Glenn mostrou sua conversa com a fonte, que é mantida sob sigilo. No trecho divulgado pelo jornalista, o suposto hacker garante que não foi responsável pela invasão do Telegram de Moro e ainda debochou dos outros invasores, chamando-os de amadores.

A conversa, que foi divulgada pela revista Veja , começa com Glenn perguntando se a fonte viu a notícia de que o celular do ministro teria sido hackeado. "Vi agora", responde o suposto hacker , que ainda pede "cautela" ao jornalista. "Com isso a massa vai ficar quente".

Depois, a fonte de Glenn nega qualquer participação na invasão. "Posso garantir que não fomos nós. Nunca trocamos mensagens, apenas puxamos", explica. "Senão ia ficar muito na cara", justifica.

Leia também: Dallagnol deu palestra em empresa investigada pela Lava Jato, revela vazamento

Na última mensagem compartilhada por  Glenn , o suposto hacker ainda critica a nova invasão. “Nós não somos ‘hackers newbies’, a notícia não condiz com nosso modo de operar, nós acessamos telegrama com a finalidade de extrair conversas e fazer justiça, trazendo a verdade para o povo", explicou.