Tamanho do texto

Emocionada, Maria Edna Virginio de Oliveira pediu justiça pela morte de seu filho após prestar depoimento na Delegacia de Homicídios de Niterói

Flordelis arrow-options
Luciano Belford/Agencia O Dia
Mãe do pastor Anderson do Carmo pediu justiça e atacou a nora: "não quero nenhum contato com ela"

"Esquece de minha nora, porque ela não é minha nora. Nora que é nora não faz isso. Não quero nenhum contato com ela, nem um pouco". Essas foram as palavras da Maria Edna Virgílio do Carmo Oliveira, de 64 anos, mãe do pastor Anderson do Carmo, ao sair da Divisão de Homicídios de Niterói, Itaboraí e São Gonçalo, na tarde desta quarta-feira (24), para se referir a viúva de seu filho, a deputada federal Flordelis .

Leia também: Sem defesa! Filho preso de Flordelis dispensa advogados contratados pela mãe

Maria Edna chegou na especializada às 10h40 para prestar depoimento . Acompanhada da filha Michelle do Carmo e de seu advogado, Ângelo Máximo, a idosa prestou esclarecimentos à polícia por cerca de três horas. A defesa da família da vítima esclareceu que Maria Edna não foi intimada para depor e que compareceu de maneira espontânea na sede da DH.

"Foi um depoimento demorado, são muitos detalhes que a gente não pode revelar aqui. Não vou entrar no mérito do que foi falado porque isso está sob sigilo, mas acho que o depoimento foi muito positivo", esclareceu Ângelo Máximo.

Muito emocionada, a mãe de Anderson pediu justiça pela morte de seu filho.

"Como mãe, é muita saudade que fica, muita tristeza, muita angústia. Foi um pedaço que arrancaram de mim e que não vai voltar mais. Só quero muita justiça, porque eu perdi meu filho. Que os culpados serão muito em breve pegos” finalizou Maria Edna.

Leia também: "Estão explorando a minha imagem e a minha dor", desabafa Flordelis; assista