Tamanho do texto

Presidente admitiu a possibilidade de indicar o filho para assumir o cargo na tarde de ontem; ministro do STF classificou a atitude como "tiro no pé"

Marco Aurélio Mello arrow-options
Reprodução/STF
Ministro criticou intenção de Bolsonaro de indicar filho para embaixada

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello classificou como nepotismo a possibilidade de Jair Bolsonaro nomear seu filho , o deputado estadual Eduardo Bolsonaro, para a embaixada do Brasil nos Estados Unidos. Nessa quinta-feira (11), em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo , o ministro afirmou que a atitude seria um "tiro no pé". 

“Não tenho a menor dúvida (de que é nepotismo). Sob a minha ótica, não pode, é péssimo. Não acredito que o presidente Bolsonaro faça isso. Será um ato falho, um tiro no pé”, afirmou Marco Aurélio em Portugal, onde está passando as férias. 

Leia também: Presidente falou, tá falado, diz Eduardo Bolsonaro sobre ser embaixador nos EUA

O ministro disse ainda que Bolsonaro tem obrigação de prestar conta aos eleitores e aos brasileiros em geral e que deveria dar o exemplo. "O exemplo vem de cima. Ele chegou para nos governar e governar bem, não para proporcionar o Estado aos familiares", completou. 

O presidente assumiu admitiu a possibilidade de indicar o filho para a embaixada na tarde de ontem, no mesmo dia em que Eduardo completou 35 anos, idade mínima para assumir o cargo. Bolsonaro exaltou o fato do deputado ser fluente em inglês e afirmou que ele possui boa relação com a família de Donald Trump.