Tamanho do texto

Gleisi Hoffmann afirmou que o ministro "se comporta como um moleque" e destacou que Weintraub vai responder pelos comentários feitos no Twitter

Senadora Gleisi Hoffmann
Paulo Pinto/AGPT - 21.10.17
Senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) é presidente nacional do Partido dos Trabalhadores

O PT vai acionar a Justiça diante da ampla repercussão sobre o tweet do ministro da Educação, Abraham Weintraub, publicado na manhã desta quinta-feira (27) – que, em tom de piada,  compara os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff à droga que foi encontrada há dois dias dentro de um avião da Força Aérea Brasileira (FAB). De acordo com a presidente nacional da legenda, Gleisi Hoffmann, Weintraub vai responder pelos comentários.

"[ Weintraub ] Será acionado judicialmente pelas injúrias lançadas contra Dilma Rousseff e Lula. Vamos pedir ainda à Comissão de Ética da Presidência da República que avalie a sua conduta", anunciou Gleisi Hoffmann no Twitter. A declaração de Gleisi engrossa as críticas recebidas por Weintraub após a declaração polêmica.

O militar detido com drogas foi preso na Espanha e integrava a equipe de apoio à viagem oficial do presidente Jair Bolsonaro ao Japão. Ele chegara ao terminal europeu em um avião da FAB, com 39 kg de cocaína. Para Weintraub, o episódio foi motivo de piada: "No passado o avião presidencial já transportou drogas em maior quantidade. Alguém sabe o peso do Lula ou da Dilma?", escreveu o ministro.

A ' piada ' causou uma repercussão negativa no Twitter, onde internautas classificaram o comentário do ministro como "baixo nível" e ressaltaram o caráter sério do caso do militar. No entanto, a  brincadeira foi apoiada pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente, que engrossou a piada: "E na vez que o Fidel Castro morreu! Recorde no voo para Cuba!", afirmou. 

O presidente Jair Bolsonaro ordenou que o Ministério da Defesa colabore com a investigação das autoridades espanholas. O porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros, disse na chegada ao Japão que o Planalto e o Comando da Aeronáutica não admitem a situação "em hipótese alguma" e prezam pela devida apuração e eventual punição do militar.

Apresentado em um tribunal nesta quarta-feira, o  militar identificado como sargento Silva Rodrigues foi colocado em detenção provisória e será investigado por crime contra a saúde pública, categoria que inclui o tráfico na Espanha.

    Leia tudo sobre: lula