Tamanho do texto

Em entrevista, presidente da Câmara afirma que não acredita que deputados aceitem a ideia do governo de não punir motoristas que transportam crianças fora da cadeirinha no banco de trás dos carros

Jair Bolsonaro com Rodrigo Maia
Marcelo Camargo/ABr
Rodrigo Maia diz acreditar que deputados não aceitem o fim da multa para motoristas que andam com crianças fora da cadeirinha


O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, não acredita que os deputados permitam que o projeto de Jair Bolsonaro que coloca fim a multas para motoristas que transportam crianças fora da cadeirinha avance. Em entrevista à TV Globo , Maia afirmou que esse trecho deve ser alterado para que o restante das leis possam continuar.

Leia também: 'Todo pai e mãe é responsável', avalia Bolsonaro sobre cadeirinhas para crianças

"Não prevalece, tudo que tratar de segurança, que impactar nisso, não tem chance de prosperar", disse Rodrigo Maia .

Jair Bolsonaro entregou o seu projeto que modifica as regras na Carteira Nacional de Habilitação ( CNH) , bem como mudança em punições de trânsito diretamente ao presidente da Câmara na última terça-feira (4).

Leia também: Projeto de Bolsonaro acaba com multa no transporte de criança sem cadeirinha

No texto enviado pelo governo, a multa seria trocada por uma advertência por escrito, sem qualquer punição de pontos ou financeira.

Desde que foi determinada em 2008 a obrigatoriedade da cadeirinha adaptada para o transporte de crianças com até sete anos e meio de idade, o número de mortes na faixa etária de 0 a 7 anos no trânsito caiu no País. O total de indenizações por morte pagas pelo DPVAT, por exemplo, registrou queda de 60%, de 1.703 casos, em 2008, para 680, no ano passado, segundo dados da administradora do seguro. O projeto do governo quer retirar agora a multa para quem descumprir norma. Maia acredita que esses dados sejam levados em conta pelos deputados.