Tamanho do texto

Deputado federal ainda teve de se retratar com magistrado nas redes sociais

Frota
Reprodução/Wikipedia
Alexandre Frota, eleito deputado federal pelo PSL em São Paulo

O deputado federal Alexandre Frota firmou um acordo nesta segunda-feira e terá de pagar R$ 25 mil ao juiz Luís Eduardo Scarabelli por dizer o magistrado "julgou com a bunda" um caso em que ele era parte do processo. Como parte do acordo, Frota ainda teve que se retratar. Pelo Twitter, ele escreveu que reconhece que na época foi "desrespeitoso com o Juiz".

Leia também: Menino esquartejado pela mãe teve pênis cortado um ano antes de morrer

Scarabelli havia julgado improcedente um pedido feito por Frota , também de indenização por danos morais, contra a ex-secretária de Políticas para Mulheres, Eleonora Menicucci, do então Ministério das Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos, do governo Dilma Rousseff.

Após a decisão, Frota disse que tinha sido julgado por "um juiz ativista, do movimento gay" e que ele "não julgou com a cabeça, julgou com a bunda".

Por conta das declarações, o juiz Scarabelli moveu duas ações contra Frota, uma cível e outra criminal. Na esfera cível, Frota foi condenado no ano passado pela juíza Tonia Yuka Kôroku, da 13ª Vara Cível de São Paulo, a pagar R$ 50 mil ao magistrado.

 O acordo desta segunda-feira é referente ao processo na esfera criminal, que deu fim as duas ações e fixou a multa em R$ 25 mil. "Hoje cheguei a um acordo com o Dr Juiz Luís Eduardo Sacarabelli onde reconheço que na época fui desrespeitoso com o Juiz . Estamos saindo do Fórum com tudo certo e caso encerrado. Vamos seguindo a vida", escreveu Frota nas redes sociais.