Tamanho do texto

Partido vai escolher Bruno Araújo, aliado do governador paulista João Doria como presidente; convenção deve se aproximar de pautas de centro-direita

doria e bruno araújo
Reprodução/PMSP
João Doria e o novo presidente do PSDB, Bruno Araújo

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso não vai à convenção nacional do PSDB, que elege Bruno Araújo como novo presidente do partido nesta sexta-feira (31) em Brasília. Embora tenha comparecido e discursado na escolha dos últimos três presidentes tucanos, FHC alegou ter compromissos pessoais já agendados e deve enviar apenas um vídeo. 

Leia também: Quem não concordar com o novo PSDB que "peça pra sair", alfineta Doria

Araújo chega ao poder do partido por influência do governador de São Paulo, João Doria, que tenta viabilizar seu projeto de ser candidato à Presidência da República em 2022. Como a ascensão de Doria não é um consenso, seus aliados temem saias-justas durante a reunião, como o discurso de despedida que fará o atual presidente da sigla, Geraldo Alckmin.

A troca no comando tucano deve aproximar o PSDB do campo da centro-direita. Em uma roupagem mais liberal, o partido fará defesa enfática do estado mínimo, de privatizações e de uma postura mais repressiva do que preventiva na Segurança Pública.