Presidente Jair Bolsonaro fez apelo para que senadores não alterassem texto da reforma administrativa
Marcos Corrêa/PR
Presidente Jair Bolsonaro fez apelo para que senadores não alterassem texto da reforma administrativa

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) celebrou, em mensagem publicada no início da tarde desta quarta-feira (29) nas redes sociais, a votação do Senado que chancelou os termos firmados pela Câmara para a MP 870 , a medida provisória que manteve a redução do número de ministérios de 22 para 29.

"Redução dos ministérios mantida. Saldo positivo! Demos um passo importante para a redução do estado, compromisso que assumimos desde o início. Parabéns a todos pela consciência do momento de mudança e renovação que estamos vivendo", escreveu Bolsonaro em seu Twitter.

Leia também: "Com a caneta, eu tenho muito mais poder do que você", diz Bolsonaro a Maia

A reforma administrativa aprovada no Congresso chancelou a primeira ação tomada pelo presidente, em janeiro, mas impôs derrota ao ministro da Justiça e Segurança, Sérgio Moro , ao tirar de suas mãos o Conselho de Controle de Atividades Financeiras ( Coaf ) e enviar o órgão ao Ministério da Economia.

Você viu?

Após as manifestações de domingo (26), quando Moro foi um dos nomes mais celebrados pelos apoiadores do governo, parte da bancada do PSL decidiu apoiar a manutenção do Coaf sob a pasta da Justiça, conforme desejava o ex-juiz da Lava Jato. Bolsonaro, no entanto, enviou carta ao Congresso para pedir que a MP fosse aprovada sem alterações, temendo que o texto expirasse e toda a reforma administrativa acabasse desfeita. O prazo para a medida provisória caducar era até 3 de junho.

A votação que bateu o martelo sobre as mudanças na estrutura do governo se deu no plenário do Senado na noite dessa terça-feira (28), após mais de três horas de discussões, por 70 votos a 4. O texto agora aguarda sanção do próprio presidente Bolsonaro .

Leia também: De surpresa, Bolsonaro caminha à Câmara e prestigia homenagem a humorista do SBT


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários