Tamanho do texto

Para o presidente, trata-se de uma atividade "normal" que, adicionalmente, permite ao governo dialogar com o Congresso e esclarecer eventuais dúvidas

bolsonaro e onyx
Carolina Antunes/PR
Por seu porta-voz, Bolsonaro afirmou ser "normal" a convocação de Onyx Lorenzoni para falar sobre o decreto de armas

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) considerou "normal" a convocação do ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni , pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados para falar sobre a edição do decreto que flexibilizou a posse e o porte de armas. Segundo o porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros, "não há nenhum temor" e Bolsonaro considera o chamado mais uma oportunidade de diálogo.

"No caso do convite ao ministro Onyx , o presidente entende que trata-se de uma atividade normal, e até reforça a possibilidade de o ministro se dispor a dialogar no Congresso para esclarecer ainda com mais profundidade quaisquer outras questões que estejam vinculadas a dúvidas em relação àquele decreto", disse Rêgo Barros.

"Não há, da parte da Presidência da República, nenhum temor. Muito pelo contrário. Há quase uma compreensão da necessidade desse diálogo. E naturalmente o ministro Onyx se torna, por consequência do seu cargo, a pessoa mais habilitada a estabelecer esse link", completou o porta-voz.

Rêgo Barros afirmou ainda que está descartada uma nova versão para o decreto de armas . Em cinco meses de governo, foram publicadas três versões da medida. "O presidente pretende que as modificações consignadas pela Presidência da República a partir deste momento sejam aquelas definitivas, e que a partir delas tenhamos firmado por fim esse decreto", finalizou.