Tamanho do texto

Texto devolveu o Coaf, que estava sob o comando do ministro Sérgio Moro, ao ministério da Economia, e também rejeitou volta dos ministérios do Trabalho e da Cultura

Câmara dos Deputados
Luis Macedo/Câmara dos Deputados - 22.5.19
Plenário da Câmara dos Deputados durante sessão para votar reforma administrativa


O plenário do Senado Federal deve votar, nesta terça-feira (28), a Medida Provisória 870 (MP), que trata da reforma administrativa do governo de Jair Bolsonaro (PSL). O texto, aprovado na Câmara dos Deputados na semana passada , foi alterado pelos parlamentares,.

Entre as mudanças feitas no projeto-base da reforma administrativa antes de sua aprovação, está, por exemplo,  a decisão de devolver o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), hoje sob a responsabilidade do ministro Sergio Moro (Justiça), para o Ministério da Economia, comandado por Paulo Guedes. Por outro lado, a Funai volta para o comando de Moro.

Foi confirmado, ainda, que não haverá a recriação de dois ministérios fundidos (Cidades e Integração Nacional), que serão mantidas sob o Ministério do Desenvolvimento Regional. A volta dos ministérios do Trabalho e da Cultura também foi rejeitada.

Entenda a reforma que foi aprovada pela Câmara dos Deputados :

Tabela
REPRODUÇÃO/AGÊNCIA BRASIL
No total, sete ministérios foram extintos














tabela
REPRODUÇÃO/AGÊNCIA BRASIL
Reforma administrativa mudou organização dos ministérios














tabela
REPRODUÇÃO/AGÊNCIA BRASIL
Reajuste dos ministérios














Reforma administrativa


tabela
REPRODUÇÃO/AGÊNCIA BRASIL
Entenda o que muda com a reforma administrativa


tabela
REPRODUÇÃO/AGÊNCIA BRASIL
Entenda o que muda com a reforma administrativa