Tamanho do texto

Pastor Isidório diz ser doido e se prontifica a conversar com o presidente sobre o decreto das armas, já que conseguiria se entender com Bolsonaro

Pastor Sargento Isidório
Divulgação
Pastor Sargento Isidório disse que pode conversar com Bolsonaro porque "doido só conversa com doido"


O deputado Pastor Sargento Isidório (PRB-BA) levou o plenário a gargalhadas na terça-feira (21) depois de chamar o presidente Jair Bolsonaro de "doido". Um dos membros da chamada Bancada da Bala da Câmara, o parlamentar afirmou que o presidente está perdido sobre o que fazer com o decreto das armas e pediu para que a Casa indicasse alguém para conversar com ele.

Leia também: Deputado simula tiroteio no Congresso em protesto contra decreto de Bolsonaro 

O curioso foi que Pastor Sargento Isidório se prontificou a ser esse deputado a conversar com Bolsonaro e o motivo seria que ambos são chamados de doido .


"É chegada a hora de buscar uma interlocução. Essa Casa precisa tirar uma comissão ou um parlamentar para conversar com o Presidente da República e, pelo perfil dele, me sinto preparado para ir até ele, porque venho da Bahia e sou conhecido como doido e para conversar com doido só outro doido", discursou.

Leia também: Nova Câmara dá voz à exaltação religiosa e heterossexual e quer leis para mulher

Deputado federal mais votado da Bahia na última eleição, Pastor Sargento Isidório ganhou fama por defender pautas religiosas, como a proposta de lei para que a Bíblia Sagrada se torne bem imaterial do Brasil.

A fama de doido , dita pelo próprio parlamentar, começou quando o ele ainda era deputado estadual na Bahia e conseguiu aprovar o "dia do orgulho heterossexual".