Tamanho do texto

Os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) fizeram uma reunião com representantes do governo

Bolsonaro
Agencia Brasil/reprodução
O presidente do Senado, Davi Alcolumbre e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, ensaiam uma reaproximação com o governo

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, e o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE) tiveram uma reunião com os presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP). Durante o encontro, que aconteceu na casa de Maia, os parlamentares negociaram uma reaproximação com o governo.

Leia também: Em carta a Bolsonaro, governadores pedem revogação do decreto do porte de armas

De acordo com informações do canal de televisão GloboNews , os parlamentares acertaram o apoio do centrão à medida provisória 870, que reestrutura o governo. Com isso, a recriação dos Ministérios das Cidades e Integração Nacional, que desagrada a base de Bolsonaro, seria descartada. A votação acontece nesta quarta-feira (22).

Outros três pontos serão discutidos: a retirada do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) do Ministério da Justiça, a transferência da demarcação de terras indígenas do Ministério da Agricultura para Funai e a limitação dos poderes de auditores fiscais em investigar casos de corrupção. Nesses pontos, ficou acertado que os parlamentares serão liberados para escolher e quem tiver mais votos ganhará.

Leia também: Witzel proíbe universidades estaduais do Rio de responder a imprensa

O líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir (GO), confirmou a negociação. "Vamos ter um ministério só", disse o deputado.

De acordo com os analistas, a reunião foi uma tentativa de reaproximação do centrão com Bolsonaro. Os líderes do bloco, que vem sendo alvo de críticas da ala mais ideológica do governo, estariam preocupados com