Tamanho do texto

Mulher do ex-governador do Rio de Janeiro se valeu de 'manobra', segundo ofício da Seap, para entrar em Bangu 8; juiz proibiu que conduta se repita

Adriana Ancelmo
Vladimir Platonow/Agência Brasil - 31.3.2017
Ex-primeira-dama do Rio Adriana Ancelmo visitou ao menos duas vezes o ex-governador Sérgio Cabral, usando 'manobra'

ex-primeira-dama do Rio de Janeiro Adriana Ancelmo usou sua carteira de advogada ao menos duas vezes este ano para visitar o marido, o ex-governador Sérgio Cabral, na cadeia de Bangu 8, na zona oeste da capital fluminense. As visitas ocorreram nos dias 20 e 27 de fevereiro.

De acordo com ofício do setor de Inteligência da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), a “manobra” estava sendo usada pela esposa de Cabral para que ela não fosse obrigada a passar pelos procedimentos de segurança da portaria principal da cadeia.

Leia também: Ex-governador Sérgio Cabral envia carta aberta ao presidente Jair Bolsonaro

Os advogados têm direito a entrar de carro no complexo e não precisam cumprir dia e hora de visitas. A ex-primeira-dama tem carteira de visitante do ex-governador e pode continuar entrando em Bangu 8, se for nessa condição.

O documento da Seap, de 7 de março, foi encaminhado ao juiz titular da Vara de Execuções Penais (VEP) do Rio, Rafael Estrela, que proibiu Adriana de visitar Cabral usando a prerrogativa de advogada , já que ela não se encontra legalmente habilitada em nenhum dos processos do ex-governador.

Leia também: Sérgio Cabral admite que recebeu propina para beneficiar cervejaria