Tamanho do texto

Para analistas, texto compartilhado pelo presidente configura estratégia populista e visa elevar polarização e desviar o foco do debate político

FLÁVIO E JAIR BOLSONARO
Reprodução/Twitter
Jair Bolsonaro defendeu seu filho, o senador Flávio, de acusações de lavagem de dinheiro

Ao  compartilhar em uma rede social um texto de autor desconhecido que diz que o Brasil está "ingovernável" , o presidente Jair Bolsonaro (PSL), segundo analistas políticos, adota estratégia populista, cria uma cortina de fumaça para tirar do foco denúncias contra seu filho Flávio e ainda alimenta as críticas da sociedade ao Congresso e a diferentes instituições.

"Ele ( Bolsonaro ) está testando elevar uma polarização para ver como a população reage. Vai culpar o Congresso e as instituições por tudo que não consegue fazer", afirmou o cientista político da Unicamp Oswaldo Amaral. "Parece um balão de ensaio para ver quantas pessoas vai arregimentar com esse tipo de discurso. Está colocando a figura dele contra as instituições democráticas e quer o apoio do povo para isso, o que é típico do populismo."

Num dos trechos, a carta diz: "Se não negocia com o Congresso, é amador e não sabe fazer política. Se negocia, sucumbiu à velha política. O que resta, se 100% dos caminhos estão errados na visão dos "ana(lfabe)listas políticos? A continuar tudo como está, as corporações vão comandar o governo Bolsonaro na marra e aprovar o mínimo para que o Brasil não quebre, apenas para continuarem mantendo seus privilégios".

Leia também:  'Rachadinha' e imóveis: entenda investigação do MP que atinge Flávio Bolsonaro

    Leia tudo sobre: impeachment