Tamanho do texto

Pedetista afirma que o presidente ficou à frente na eleição por conta da facada e diz que políticos não acreditavam que ele venceria pois era "vazio"

Ciro Gomes
José Cruz/ABr
Ciro Gomes afirmou que Bolsonaro venceu a eleição por conta da facada

O candidato derrotado à Presidência da República Ciro Gomes (PDT) fez críticas ao presidente Jair Bolsonaro (PSL) e ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nessa terça-feira (15), em entrevista a Marcelo Tas na TV Cultura.  

Ciro afirmou ter ficado "deprimido" ao assistir à  entrevista de Lula na prisão aos jornais Folha de S.Paulo e El País  por conta da "falta de autocrítica" do ex-presidente. "Eu conheço o Lula. Ele é um encantador de serpentes, um enganador profissional. Não tem um companheiro com quem ele não tenha sido desleal ao longo da vida inteira. Ele cultiva isso", criticou. 

"No PT, todo mundo sabe que, do ponto de vista eleitoral, o Lula é carta fora do baralho. Como manejar este defunto eleitoral é muito delicado para todos eles", completou. O pedetista disse ainda que, se o ex-presidente se considera um preso político, deveria ter pedido asilo na embaixada de algum país.

"A petezada amalucada não percebe a incongruência. Se eu sou acusado falsamente e ameaçado de prisão arbitrária e política, eu iria a uma embaixada pedir asilo e denunciar. Se Lula se acha um preso político, é a única saída. Sugeri isso", argumentou. 

Para o ex-ministro da Fazenda, Jair Bolsonaro venceu as eleições por conta da facada que levou durante comício de sua campanha em Juiz de Fora (MG), em setembro. "Significava que o mais tosco, simples e fácil de ser entendido como intérprete do antipetismo decolava. Era o Bolsonaro. Nenhum de nós, políticos, achava que ele se aguentava porque era muito vazio. Ninguém botava fé. Ele foi adiante por conta da facada, que deu a ele uma razão para não ir aos debates", justificou. 

Leia também: Ciro vira réu em ação movida por Bolsonaro e reage: "Ele segue Temer e Cunha"

Ciro disse ainda que, para os "bolsominions", o presidente pode andar pelado na rua e isso vai ser relativizado, assim como para o "fanático do PT". "Eu já engoli merda em nome deles demais. Mais muita. Dilma 1 e Dilma 2, por exemplo. Se ninguém sabia, eu sabia que ela não tinha experiência de nada. E o Michel Temer eu denunciei que ele rouba há mais de 30 anos. O governo dela foi um desastre transcedental e o PT apaga", criticou o político. 

    Leia tudo sobre: Lula