Tamanho do texto

Defesa do prefeito do Rio de Janeiro alegou que ele não teve direito à ampla defesa, mas juiz concordou com o Ministério Público e manteve o processo

 Marcelo Crivella
Fernando Frazão/Agência Brasil
Prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella passa por processo de impeachment

O juiz Marcello Alvarenga Leite, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ) negou, nesta terça-feira (14), o pedido da defesa de Marcelo Crivella para suspender o processo de impeachment pelo qual o prefeito do Rio de Janeiro está passando. As informações são da TV Globo.

Leia também: Carlos Bolsonaro cai em fake news de 2017 e confunde aliado com petista

Os advogados de Crivella argumentaram que o prefeito não teve direito à ampla defesa, uma vez que, mesmo após o protocolamento da denúncia, uma petição foi apresentada com fatos novos e novas testemunhas também foram introduzidas.

O Ministério Público do Rio de Janeiro . (PM-RJ), por sua vez, discordou e afirmou que suspender a denúncia seria uma "indevida interferência do Judiciário na competência privativa da Câmara Municipal do Rio de Janeiro, violando-se o Princípio da Separação de Poderes"

O magistrado concordou com a argumentação do MP. "Diferentemente do que sustenta a parte autora, a petição que se tenta imputar a pecha de ilegal não se apresenta puramente como uma emenda à denúncia, mas apresenta nítida característica de uma réplica à contestação, fazendo menções expressas à peça defensiva, que, diga-se, não foi juntada a estes autos, o que impossibilita sua análise mais detida", escreveu o juiz Marcello Alvarenga Leite .

Leia também: Câmara do Rio aprova continuidade do processo de impeachment de Crivella

Agora, os ritos do impeachment seguirão normalmente e a Alerj votará o relatório final do pedido de afastamento. Caso pelo menos dois terços dos vereadores (34) votem pelo impeachment, Marcelo Crivella perderá o cargo.

    Leia tudo sobre: Impeachment