Tamanho do texto

Ex-presidente passou a última noite em uma Sala de Estado Maior no Quartel General da Polícia Militar de São Paulo; Justiça ainda precisa dar autorização

Michel Temer preso
Aloisio Mauricio/Fotoarena/Agência O Globo - 9.5.19
Restabelecimento da prisão de Michel Temer se deve às investigações com irregularidades em contratos de Angra 3

A Polícia Federal pediu à juíza federal substituta Caroline Vieira Figueiredo, da 7ª Vara Federal do Rio de Janeiro, autorização para transferir o ex-presidente Michel Temer para o Comando de Policiamento de Choque da Polícia Militar do Estado de São Paulo. O emedebista voltou a ser preso na quinta-feira (9), após decisão do Tribunal Regional Federal de 2ª Região (TRF-2).

Segundo a PF, o batalhão possui uma sala de Estado Maior.  Michel Temer passou a última noite em uma Sala de Estado Maior no Quartel General da Polícia Militar de São Paulo.

Os advogados que representam Michel Temer alegaram à juíza Carolina Figueiredo, que substitui o juiz Marcelo Bretas na 7ª Vara Federal do Rio de Janeiro, que o emedebista deve cumprir sua prisão preventiva em São Paulo.

Ao ser preso preventivamente em março, por decisão de Bretas, Temer foi levado de São Paulo para a superintendência da Polícia Federal no Rio. Ele foi solto apenas quatro dias mais tarde, após ter pedido de habeas corpus concedido pelo desembargador Ivan Athié.

O restabelecimento da prisão de Michel Temer se deve às investigações com irregularidades em contratos para a construção da usina nuclear de Angra 3, no Rio de Janeiro. Segundo as investigações, o esquema criminoso envolvia pagamentos e desvios (alguns já efetuados e mais prometidos) que superam R$ 1, 8 bilhão. A defesa do ex-presidente nega as acusações.