Tamanho do texto

Vice-presidente classificou como 'totalmente sem nexo' as críticas direcionadas à ala militar do governo comandado por Jair Bolsonaro

Vice-presidente Hamilton Mourão
Alan Santos/PR - 24.4.2019
Vice-presidente Hamilton Mourão disse que militares devem ignorar crítica

O vice-presidente Hamilton Mourão defendeu queataques a militares que integram o governo Jair Bolsonaro, entre eles o ministro-chefe da Secretaria de Governo, Carlos Alberto dos Santos Cruz,devem ser ignorados, para o bem de todos. 

Leia também: Governo fecha questão e quer que Coaf fique no Ministério da Justiça com Moro

"Eu acho que esses ataques são totalmente sem nexo. E, se nós ignorarmos, será melhor para todo mundo", respondeu Mourão, que é general da reserva do Exército, assim como Santos Cruz. Ele foi questionado se o movimento contra o ministro prejudicam o governo.

"Você sabe qual é a minha visão. Sem comentários", disse o vice-presidente, inicialmente, na entrada do seu gabinete, no Palácio do Planalto.

Pela manhã, ele esteve ao lado do presidente Jair Bolsonaro em um evento no Colégio Militar do Rio de Janeiro e classificou a visita como “excelente”.

Santos Cruz, passou mais de uma hora na noite de domingo reunido com Bolsonaro no Palácio da Alvorada, onde o presidente mora com a família. Segundo interlocutores, o ministro tomou a iniciativa de ir ao local depois de passar o dia sob ataques nas redes sociais. A hashtag #ForaSantosCruz se tornou um dos assuntos mais comentados do Twitter ao longo do dia.

Na conversa com Bolsonaro, o ministro teria argumentado que não se tratava de um ato espontâneo, mas era alvo de uma ação coordenada, com a participação dos filhos do presidente, o chefe da Secretaria de Comunicação, Fábio Wajngarten, e assessores ligados ao ideólogo de direita, Olavo de Carvalho.

De acordo com um auxiliar do presidente, ele reagiu e afirmou que o ministro estaria desviando do “foco central” da divergência, que seria o controle das redes sociais. Bolsonaro teria se irritado com o fato do ministro não admitir que estava errado, quando defendeu na rádio Jovem Pan em abril, uma legislação para as mídias sociais. A entrevista, concedida há um mês, passou a circular no domingo. O presidente desautorizou publicamente a possibilidade de qualquer regulação.

Leia também: Ex-comandante do Exército rebate ataques de Olavo: "Trótski de direita"

Na manhã desta segunda, o ex-comandante do Exército Eduardo Villas Bôas, respondeu a críticas de Olavo de Carvalho a membros da ala militar do governo. Assessor especial do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência, o general divulgou um texto em suas redes sociais em que afirma que o guru do bolsonarismo enfrenta um "vazio existencial" e age com desrespeito às Forças Armadas.