Tamanho do texto

Rêgo Barros afirmou que há uma tentativa de entregar prêmio ao presidente em Dallas; ida ocorreria dias após o cancelamento da viagem a Nova York

Jair Bolsonaro
Isac Nóbrega/PR - 6.5.19
Presidente Jair Bolsonaro iria para Miami se encontrar com parlamentares americanos depois de passar por Nova York

O porta-voz do Palácio do Planalto, Otávio do Rêgo Barros, afirmou nesta segunda-feira que o presidente Jair Bolsonaro "provavelmente" viajará aos Estados Unidos para receber uma homenagem na semana que vem. O destino provável é a cidade de Dallas, no Texas. 

A ida ocorreria dias após o cancelamento da viagem a Nova York , na última sexta-feira, onde Bolsonaro receberia o prêmio de "Personalidade do Ano", da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos. O presidente cancelou a viagem depois que o prefeito da cidade, Bill de Blasio, que é do partido democrata, fez críticas ao presidente brasileiro. 

"Nós já recebemos vários convites de outros Estados ao nosso presidente para que ele, em lá chegando, possa ser homenageado adequadamente. E o nosso presidente está a decidir, mas provavelmente será no Texas esse evento", informou Rêgo Barros, explicando que a homenagem deve ocorrer nos próximos dias 15 e 16.

Antes, Bolsonaro iria para Miami se encontrar com parlamentares americanos depois de passar por Nova York . A manutenção deste trecho da viagem foi descartada pelo porta-voz. Ele explicou que o novo planejamento da viagem, "que ainda está sendo fechado", é para um único Estado, com prioridade para o Texas.

Leia também: Mourão diz que prefeito de Nova York 'ofende todo Brasil' ao criticar Bolsonaro

De acordo com o porta-voz, outras autoridades, empresários e políticos, "inclusive do Partido Democrata", convidaram Bolsonaro a "compartilhar com ele o ambiente democrático tão salutar que é o dos Estados Unidos da América".

"Que eventualmente algumas autoridades não sabem aproveitar e considerar diante da presença de um presidente de Estado, como é o nosso presidente Jair Bolsonaro", declarou, em referência indireta a Bill de Blasio.

Em seguida, Rêgo Barros ressaltou que o prefeito de Dallas, Mike Rawlings, também é democrata. Tratando da cidade no Texas como uma escolha já feita, ele disse que a opção pelo local "não necessariamente" ocorreu por conta desta coincidência.

Leia também: Prefeito de Nova York comemora desistência de Bolsonaro: "Ele fugiu"

"É porque foi a primeira escolha que se apresentou mais adequada para a amplitude do evento de homenagem ao nosso presidente", afirmou, acrescentando que não sabe se o evento continuará a ser da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos. "Há uma tentativa de que sim, que haja uma conjugação, um colimar das atividade lá em Dallas que estão a ser assentadas agora por meio das interlocuções com aquela premiação que iria ocorrer em Nova York."