Tamanho do texto

Ministro da Justiça e da Segurança Pública disse que espera que o pacote anticrime seja aprovado ainda neste ano: "Eu tenho uma grande fé"

Sérgio Moro
Aloisio Mauricio/Fotoarena/Agência O Globo
Contra ação do PT, Moro defende restrição a visitas em presídios

O ministro da Justiça e da Segurança Pública Sérgio Moro disse nesta quinta-feira (25) que vê com preocupação a ação do Partido dos Trabalhadores no Supremo Tribunal Federal (STF) contra a restrição de visitas nos presídios federais. O  PT e o Instituto Anjos da Liberdade entraram com ação na última quarta-feira (24) contra portaria do Ministério da Justiça que tornou mais rígidas as regras para as visitas sociais aos presos em penitenciárias federais de segurança máxima.

"Essa medida foi tomada para salvaguardar a sociedade de ordens partindo de dentro dos presídios federais, seja para assassinatos, seja para 'salve gerais'", declarou Moro , em consonância com a nota enviada a respeita pelo seu Ministério.

O ministro também afirmou acreditar que o projeto de lei anticrime , apresentado ao Congresso em março deste ano pelo seu Ministério, será aprovado até o final do ano no Congresso. "Eu tenho uma grande fé de que a aprovação deve acontecer durante esse ano e, em uma das Casas, ainda neste semestre", disse o ex-juiz. "Há tramitação de projetos iguais no Senado e na Câmara", acrescentou.

O ministro participou de evento da Câmara Internacional do Comércio (ICC, da sigla em inglês) acompanhado do ministro da Controladoria-Geral da União Wagner Rosário.

No evento, onde estava, além de Moro , o  governador de São Paulo, João Doria (PSDB), foi anunciada a criação de um canal de denúncias para o setor privado com foco em corrupção internacional, lavagem de dinheiro, crimes cibernéticos e defesa da concorrência e de direitos de propriedade intelectual.