Tamanho do texto

Seguidores da deputada lamentaram o encontro por conta do apoio de Doria à reforma da Previdência, enquanto outros a chamaram de "globalista"

João Doria e Tabata Amaral
Reprodução/Twitter/jdoriajr
Governador de São Paulo, João Doria (PSDB), se encontrou com a deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP) e ambos foram criticados

A deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP) e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), foram alvos de críticas após o tucano registrar o encontro entre os dois em suas redes sociais, nesta segunda-feira (22).

Doria publicou imagem com a parlamentar e disse que o encontro serviu para discutir "medidas para melhorar a qualidade do ensino público, além da importância da aprovação da Nova Previdência". "Muito bom ver jovens lideranças engajadas na transformação do Brasil", disse o tucano sobre Tabata Amaral .

Não demorou e muitos seguidores passaram a criticar ambos. "Essa é lobo em pele de cordeiro", escreveu um. "Você não queria se afastar dos comunas (sic)?", questionou outro.

Por conta das críticas dos internautas, que chegaram a chamá-la de "globalista dissimulada" e disseram que Doria é 'marqueteiro', a pedetista se explicou, também em suas redes sociais, nesta terça-feira (23).

"A convite do governador João Doria , estive ontem no Palácio dos Bandeirantes, cumprindo o meu papel de deputada federal, que também é o de acompanhar o poder executivo do meu Estado", escreveu em seu Twitter.

"Conversamos sobre o combate à violência contra a mulher e educação, especialmente técnica e profissional, que são áreas foco do meu mandato. O governador ouviu os relatos da minha visita à E. E. Raul Brasil e se comprometeu a iniciar uma reforma completa da escola ainda no começo do próximo mês, para que todos os alunos se sintam seguros na volta às suas atividades, entre outras medidas", continuou.

"As melhores soluções nascem da busca de consensos entre as diversas linhas de pensamento e não da polarização, e essa é a forma de fazer política na qual eu acredito", finalizou Tabata, sem citar a reforma da Previdência .

Em seguida, mais críticas e questionamentos. "Sua versão é essa, mas o Doria disse que vocês conversaram sobre a reforma. Seria ótimo se você expusesse os detalhes dessa conversa e o seu posicionamento sobre a nova previdência", pediu um seguidor.

"Fiscalize, não se esqueça que ele é do partido que rouba merenda e que conseguiu transformar a educação de São Paulo numa fábrica de malucos. Sou professor da rede e sei do que estou falando", afirmou outro.

Por outro lado, teve gente que a apoiou: "A gente vê como é o nível quando você tem que avisar qual o seu papel como deputada", escreveu um. "É uma implicância juvenil", respondeu a ex-nadadora Joanna Maranhão.

Sexta deputada federal mais votada em São Paulo, Tabata Amaral é considerada pelos mais conservadores como uma política alinhada à esquerda, enquanto estes a chamam de "liberal". No fim de março, um vídeo em que ela pressiona o então ministro da Educação, Ricardo Vélez , viralizou. Dias depois, Vélez foi demitido.