Tamanho do texto

Medida tem vigência de 33 dias e atende a pedido do GSI, visando "preservar a ordem"; ato de indígenas está marcado para a próxima semana no local

ministro Sergio Moro
Magalhães Jr. / Photopress / Agência O Globo
Moro autorizou uso da Força Nacional na Praça dos Três Poderes

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, autorizou o uso da Força Nacional na região da Praça dos Três Poderes e da Esplanada dos Ministérios, em Brasília. A decisão foi publicada na edição desta quarta-feira (17) do Diário Oficial da União

Leia também: Moro defende pacote anticrime e pede apoio: "E você, o que defende?"

A publicação, assinada por Moro , informa que o pedido foi feito pelo ministro general Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) para preservação "da ordem pública, da incolumidade das pessoas e do patrimônio, na defesa dos bens e dos próprios da União".  

O PSOL anunciou, em sua conta do Twitter, que vai apresentar um projeto para sustar a portaria e que a decisão do ministro é uma tentativa de "impedir a livre manifestação". "Governo inimigo do povo. Enquanto Bolsonaro retira direitos, Moro autoriza o emprego da Força Nacional para conter manifestações na Esplanada dos Ministérios. Vergonha nacional", escreveu o partido. 

Por conta da discussão da reforma da Previdência nesta semana, há possibilidade de protestos na Praça dos Três Poderes . Além disso, entre os dias 24 e 25 de abril está previsto o Acampamento Terra Livre no local, uma manifestação de indígenas que ocorre há 15 anos por conta do Dia do Índio, comemorado nesta sexta-feira. 

Na semana passada, Bolsonaro chegou a criticar o evento em uma live no Facebook. O presidente classificou a manifestação como "encontrão" e disse que seria bancado pelo "contribuinte". A organizadora do evento, Sônia Guajajara, candidata a vice de Guilherme Boulos pelo PSOL nas eleições de outubro, rebateu o presidente e afirmou que o acampamento é realizado com dinheiro de doações. 

Leia também: Diretor do Datafolha ironiza Moro no Twitter com resultados de pesquisa

A decisão do ministro Sérgio Moro tem duração de 33 dias a partir de hoje e, de acordo com o documento, poderá ser prorrogada. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.