Tamanho do texto

Presidente disse a frase durante jantar com representantes de países árabes

Jair Bolsonaro
Marcos Corrêa/PR
Jair Bolsonaro se reuniu com pastores evangélicos em evento de Silas Malafaia

Após criar uma animosidade com países árabes ao sugerir a mudança do consulado brasileiro em Israel para Jerusalém, o presidente Jair Bolsonaro promoveu um jantar com representantes dessas nações nesta quarta-feira (10) para tentar acalmar os ânimos. No entanto, uma frase infeliz sobre o Holocausto dita pelo brasileiro no dia seguinte pode criar tensão com os judeus.

Leia também: Ex-jogador da Seleção, Washington assume secretaria no governo Bolsonaro

“Fui, mais uma vez, no Museu do Holocausto . Nós podemos perdoar, mas não podemos esquecer. É minha essa frase. Quem esquece seu passado está condenado a não ter futuro”, disse Bolsonaro, fazendo uma alusão à frase que falou ao lado do premier israelense, Benjamim Netanyahu. 

A frase foi dita por Bolsonaro durante um encontro com evento com mais de 100 pastores evangélicos brasileiros e do exterior. No mesmo evento, no entanto, Bolsonaro voltou a defende Israel, a mudança da embaixada e disse que o país é um "exemplo" para o Brasil.

"Quem decide onde é a capital ou não de Israel é seu povo, o seu governo, são seus parlamentares. Assumimos aquele compromisso e, obviamente, queremos cumprir esse compromisso", afirmou Bolsonaro, afirmando que falta fé ao Brasil para ser mais parecido com Israel.

"Nosso compromisso é buscar uma maneira de transformar nosso país no que é Israel. Olha o que eles não têm e o que são. Eles não têm riquezas minerais, reserva, biodiversidade, terras férteis, água ou recursos naturais. Olha o que nós temos, temos tudo. E olha o que nós não somos. O que nos falta? Falta fé. Nos falta gente que sirva de exemplo para os demais."

Depois de falar sobre Israel, Bolsonaro lembrou também da reunião com os embaixadores islâmicos.

"No dia de ontem, fui convidado pela ministra da Agricultura Teresa Cristina e pelos embaixadores mulçumanos a participar do jantar. São países que mantém negócios bilionários conosco e, na minha fala, que foi não mais que dois minutos, eu falei para eles que esse nosso relacionamento comercial seja fortalecido e, mais ainda, se transforme em paz, em harmonia e em amor. Fomos aplaudidos."

O presidente disse ainda que sentiu no semblante dos embaixadores que existe "um carinho muito grande" com o Brasil.

"Conversei com vários deles, de forma bastante rápida, não tinha intérprete, mas o semblante que pude notar deles, não sou psicólogo, mas senti que existe, sim, um carinho muito grande de todos no mundo pelo Brasil. Tem gente de todo mundo aqui. São bem tratados e convivem na mais perfeita em harmonia", finalizou Bolsonaro.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.