Tamanho do texto

Deputada líder do governo no Congresso justificou que viagem a Ilhéus foi para tratar da reforma da Previdência, mas se irritou ao ser questionada

Joice Hasselmann (PSL-SP) olha o celular
Myke Sena/Fotoarena/Agência O Globo
Joice Hasselmann utilizou verba pública para voltar de Ilhéus (BA) no Carnaval

A deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), líder do governo no Congresso, comprou uma passagem aérea no valor de R$ 1.264,27 para retornar de Ilhéus (BA) para Brasília (DF) no fim do feriado de Carnaval, em 6 de março, com verba indenizatória de gabinete. As informações são da Época .

Durante o feriado, Joice Hasselmann publicou uma foto deitada em uma rede sem dizer onde estava e escreveu: "meu bloco de Carnaval é o da soneca domingueira". Mas na quarta-feira de cinzas, a deputada fez postagens no Twitter com a localização ativada no litoral baiano e chegou até a ser cobrada por seguidores.

Leia também: Joice Hasselmann defende Onyx e diz ser "ministra da pacificação nacional"

O uso da cota parlamentar da Câmara dos Deputados é permitido apenas para gastos "exclusivamente vinculados à atividade parlamentar". Ao ser questionada, a deputada disse que foi à Bahia duas vezes neste ano e que não se lembra o que fez em Ilhéus.

"Não tenho mais base (eleitoral). Estou rodando o Brasil inteiro em defesa da reforma da Previdência. Às vezes viajo a convite, às vezes não. Posso ter ido com passagem da Câmara, voltar sem. Não tenho Carnaval", afirmou.

Na última quarta-feira (10), a deputada se irritou quando foi questionada sobre os gastos no Carnaval e justificou que sua viagem foi por conta das tratativas para a reforma da Previdência e que por isso ela utilizou verba oficial.

Leia também: Joice Hasselmann apaga posts criticando a ditadura depois de comemorar golpe

"Eu tive uma reunião, como tenho todos os finais de semana, para tratar de Previdência. A minha viagem foi para tratar de Previdência. O que faço no meu fim de semana não é problema de ninguém. Se fiquei um dia a mais, dois dias a mais, não é seu problema", acrescentou Joice Hasselmann .