Tamanho do texto

Pesquisa Datafolha indica que governo Bolsonaro é avaliado como ruim ou péssimo por 30% da população, mas 59% acreditam que ele terá uma gestão ótima ou boa; números são os piores desde a redemocratização de 1985

undefined
Marcos Corrêa/PR
Jair Bolsonaro teve queda em sua avaliação, indica Datafolha


A pesquisa Datafolha revelada neste domingo (7) indica que Jair Bolsonaro tem a pior avaliação entre os presidentes de primeiro mandato nos três primeiros meses. Para 30% dos brasileiros, o atual governo é ruim ou péssimo. As expectativas, entretanto, seguem positivas para o Planalto, já que 59% acreditam que ele fará uma gestão ótima ou boa. Foram ouvidas 2086 pessoas com mais de 16 anos em 130 municípios entre os dias 2 e 3 de abril. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos.

Leia também: Mourão nega antagonismo com Bolsonaro: 'Eu sou complementar ao presidente'

Os números de Bolsonaro são os piores desde a redemocratização, em 1985. No mesmo período, Fernando Collor era rejeitado por 19% da população; FHC por 16%; Lula por 10%; e Dilma por 7%. Presidentes que eram vice antes de assumirem não são contabilizados, casos de José Sarney, Itamar Franco e Michel Temer.

O índice de rejeição ao governo Jair Bolsonaro é semelhante ao de aprovação. 32% dos brasileiros acreditam que a gestão é ótima ou boa e outros 33% avaliam o começo do presidente como regular. 4% não souberam ou não quiseram opinar.

Leia também: Maioria acha que data do golpe de 1964 deveria ser desprezada, aponta Datafolha

Expectativa positiva do governo Bolsonaro caiu

undefined
Divulgação
Expectativa da população com o governo Bolsonaro piorou


Ainda que 59% da população brasileira acredite que Bolsonaro deixe o governo com uma ótima ou boa gestão, a Datafolha mostrou uma queda na expectativa. Antes de iniciar o mandato, 65% tinham a mesma percepção e apenas 12% diziam esperar uma administração ruim ou péssima.

Leia também: "Não nasci para ser presidente, nasci para ser militar", diz Bolsonaro

O Datafolha mostra que os principais motivos de queda na expectativa com Bolsonaro está na dificuldade de aprovação da reforma da Previdência e alguns episódios de desgaste político. Além disso, o IBGE divulgou que o desemprego subiu 12,4% no último trimestre, ainda que o presidente tenha contestado a metodologia do instituto.

A pesquisa também perguntou se os brasileiros estão satisfeitos com o que foi feito pelo governo nos três primeiros meses. Para 61%, Bolsonaro fez menos do que se esperava. 22% acreditam que foi feito o esperado e 13% acham que o presidente foi além da expectativa.

    Leia tudo sobre: Lula