Tamanho do texto

Depoimentos, áudios e documentos obtidos pela PF aproximam o caso a Marcelo Álvaro Antônio, que nega qualquer participação nos crimes

Ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio
Marcos Corrêa/PR
PF vê participação de ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, em esquema de laranjas; ele nega

A Polícia Federal vê princípios de participação do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, no esquema de candidaturas de laranjas do PSL, seu partido e também do presidente Jair Bolsonaro, em Minas Gerais, nas eleições de 2018, segundo reportagem do jornal Folha de S.Paulo desta sexta-feira (5).

As suspeitas iniciais apuradas pelos investigadores é do crime de falsidade ideológica, mas não está descartado que o crime de lavagem de dinheiro também tenha sido cometido. Depoimentos, áudios e documentos obtidos pela PF aproximam o caso ao ministro do Turismo .

Leia também: Ministro do Turismo ameaça agredir líder de campanha bolsonarista em avião

A ideia agora, de acordo com o jornal, é aprofundar as investigações para saber qual foi a participação de Álvaro Antônio em possíveis crimes.

Em fevereiro, o jornal revelou que o ministro, presidente do PSL em Minas Gerais nas últimas eleições, utilizou verba pública eleitoral para patrocinar um esquema de candidaturas laranjas. Ele nega as acusações.

Leia também: 'Laranja' do PSL diz à PF que ministro pediu desvio de verba nas eleições

Um caso parecido aconteceu também em Pernambuco, que culminou com a demissão de Gustavo Bebianno da pasta da Secretaria-Geral da Presidência. Bebbiano era presidente nacional do partido de Bolsonaro em 2018.

Em recentes declarações, Jair Bolsonaro disse que a situação do ministro do Turismo desgasta o governo, mas que vai  esperar a conclusão da apuração da PF para decidir o futuro de Álvaro Antônio, que nega qualquer participação e diz que seguiu a lei nas eleições.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.