undefined
Antonio Cruz/ABr
Ex-presidente Michel Temer (MDB) foi preso na manhã desta quinta-feira

O MDB publicou uma nota oficial sobre a  prisão do ex-presidente Michel Temer na manhã desta quinta-feira (21). No texto, o partido lamenta a postura "açodada" da Justiça. Parlamentares também se manifestaram sobre o ocorrido. 

"O MDB lamenta a postura açodada da Justiça à revelia do andamento de um inquérito em que foi demonstrado que não há irregularidade por parte do ex-presidente da República, Michel Temer e do ex-ministro Moreira Franco. O MDB espera que a Justiça restabeleça as liberdades individuais, a presunção de inocência, o direito ao contraditório e o direito de defesa", diz a nota.

O mandado de prisão foi assinado pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro. Temer foi detido em São Paulo e será encaminhado para a sede da Polícia Federal do Rio. Os mandados são de prisão preventiva – ou seja, sem prazo de soltura. O ex-presidente responde a dez inquéritos, cinco deles em primeira instância e cinco no Supremo Tribunal Federal. 

A ordem prisão foi embasada pela delação do José Antunes Sobrinho, dono da Engevix. O empresário contou à Polícia Federal que, em 2014, pagou R$ 1,1 milhão em propina, a pedido do Coronel Lima (amigo pessoal do ex-presidente) e do ex-ministro Moreira Franco. Ainda segundo o delator, Temer tinha conhecimento do esquema. A Engevix fechou um contrato para realizar um projeto na usina de Angra 3.

Leia também: E agora, Temer? Ex-presidente perde foro e enfrentará ações na 1ª instância

O ex-ministro da Cultura e agora deputado federal, Marcelo Calero (PPS-RJ), que ficou no cargo por pouco menos de seis meses, se manifestou sobre a prisão de Temer no Twitter. Ele deixou o cargo no governo após denunciar que o então ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, tentava usar a posição para liberar a construção de um prédio em Salvador.





Já o ex-ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, afirmou, em entrevista à Rádio Gaúcha , que a prisão do ex-presidente é um caso de "exibicionismo" do Judiciário. "Ainda não tenho conhecimento do processo, detalhes do caso, mas posso afirmar, sem medo de errar, que se trata de mais um caso de exibicionismo", disse. 

O senador Major Olímpio (PSL-SP), em sua conta do Twitter, também comemorou a questão e afirmou esperar que a próxima seja "a estocadora de vento", fazendo referência a uma fala da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). "Ninguém está acima da Lei! A Justiça será feita e o Brasil vai vencer", escreveu Olímpio. 





O líder da oposição na Câmara, Alessandro Molon, afirmou que Temer usou seu cargo para impedir que as denúncias conta ele avançassem e disse que "finalmente a justiça começa a ser feita". 





Leia também: Prisão de Michel Temer repercute nas redes sociais e vira meme

Além de Temer, Marcelo Bretas também determinou o encarceramento do ex-ministro de Minas e Energia, Moreira Franco ( MDB ), que também já foi detido. Outros seis mandatos também foram expedidos. Um dos alvos é Coronel Lima, apontado pela PF como operador do ex-presidente. Os outros são empresários.

*Mais informações em instantes 

    Veja Também

      Mostrar mais