Tamanho do texto

Ex-assessor do Exército, coronel Didio Pereira de Campos ficará responsável pelo monitoramento das redes sociais, publicidade e criação de conteúdo

Jair Bolsonaro nega as informações sobre a contração de coronel e os motivos
Alan Santos/PR - 19.2.19
Jair Bolsonaro nega as informações sobre a contração de coronel e os motivos

O governo do presidente Jair Bolsonaro escalou um militar para coordenar a estrutura de mídias digitais e reforçar a comunicação oficial do Palácio do Planalto. De acordo com o jornal Folha de S.Paulo , a nova estrutura, chamada Comunicação Global, será comandada pelo ex-chefe da assessoria de imprensa do Exército, o coronel Didio Pereira de Campos.

A Comunicação Global ficará responsável pelo monitoramento das redes sociais, publicidade oficial e criação de conteúdo. A indicação  de Campos foi feita pela equipe do ministro da Secretaria de Governo, general Carlos Santos Cruz e, segundo o jornal, ocorreu após um diagnóstico da equipe do presidente, sobretudo do núcleo militar, de que a comunicação oficial precisava ser melhorada diante das últimas polêmicas . Jair Bolsonaro , no entanto, nega as informações.

O coronel é descrito como um militar de perfil moderado e técnico. Apesar de sua suposta entrada na equipe de comunicação, a estrutura geral continuará a ser chefiada por Floriano Amorim, indicado para o posto por Carlos Bolsonaro, que blindou as contas oficiais do pai.

Na semana passada, Bolsonaro compartilhou vídeo, filmado durante o Carnaval.  As imagens mostram dois homens dançando em cima de um ponto de táxi, em um bloco de rua no Carnaval de São Paulo. Em um dado momento, um dos foliões coloca o dedo no próprio ânus. Mais tarde, esse mesmo homem se abaixa para o outro urinar na sua cabeça.

"Não me sinto confortável em mostrar, mas temos que expor a verdade para a população ter conhecimento e sempre tomar suas prioridades. É isto que tem virado muitos blocos de rua no Carnaval brasileiro. Comentem e tirem suas conslusões (sic)", escreveu o presidente. A publicação foi feita ontem às 15h08 e o vídeo foi gravado no desfile do Blocu, em São Paulo, na última segunda-feira (4).

As imagens  chocaram tanto os apoiadores de Bolsonaro quanto aqueles que se declaram como oposição ao governo. Isso porque o Twitter do presidente possui mais de 3,45 milhões de seguidores, incluindo menores de idade, e a publicação pode ser vista sem restrições.

Neste domingo (10), ele divulgou relato deturpado contra uma repórter. O presidente publicou uma mensagem sobre uma repórter do jornal O Estado de S.Paulo , acompanhada por um vídeo, em que acusa a jornalista de ter falado que possui a "intenção de arruinar Flávio Bolsonaro e o governo". As aspas seriam em relação à cobertura jornalística a respeito das movimentações suspeitas da Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador e filho do presidente .

O vídeo, no entanto, é uma edição e contém fake news , ou seja, conteúdo falso. A suposta declaração da repórter, que aparece entre aspas no título do vídeo, teria sido dada, segundo “denúncia” de um jornalista francês, em uma conversa gravada. Na gravação do diálogo, porém, a jornalista não fala em momento algum sobre tal “intenção”.

Leia também: EUA, Japão, China... Bolsonaro terá intensa agenda de viagens a partir de março

Ontem, Jair Bolsonaro insuflou seus seguidores contra a imprensa compartilhando o conteúdo falso. “Constança Rezende, do O Estado de SP diz querer arruinar a vida de Flávio Bolsonaro e buscar o Impeachment do Presidente Jair Bolsonaro. Ela é filha de Chico Otavio, profissional do O Globo . Querem derrubar o Governo, com chantagens, desinformações e vazamentos”, escreveu ele no Twitter.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas