Tamanho do texto

Ex-presidente negou que tenha incitado o MTST a invadir o imóvel, que foi atribuído ao petista durante as investigações da Operação Lava Jato

Tríplex do Guarujá atribuído a Lula foi ocupado pelo MTST
Reprodução/Mídia Ninja
Tríplex do Guarujá atribuído a Lula foi ocupado pelo MTST



O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva prestou breve depoimento na sede da Polícia Federal em Curitiba, onde está preso, sobre a ocupação do tríplex atribuído ao petista por movimentos sociais. Cerca de 50 membros dos grupos Frente Povo Sem Medo e Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), invadiram o local logo após a condenação do ex-presidente na Operação Lava Jato.

Leia também: MTST deixa tríplex atribuído a Lula no Guarujá após três horas de ocupação

"Ela [delegada] queria saber se o ex-presidente tinha incitado a ocupação do imóvel. Ele disse que não. Queria saber se ele tinha conversado com o pessoal do MTST ou com o Boulos depois daquele dia que ele falou na praça. E ele disse não também. Ela também perguntou o que ele quis dizer quando disse 'O apartamento é meu, pode ocupar'. Foi força de expressão, em um discurso que demorou mais de meia hora. Esse trecho não tem seis segundos. Foi força de expressão em um momento em que ele estava indignado com a condenação pelo Tribunal Regional Federal", disse o advogado de Lula , Manoel Caetano Ferreira. O depoimento do petista durou cerca de dez minutos.

O grupo de sem-tetos invadiu o tríplex atribuído ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Guarujá (SP) na manhã do dia 16 de abril de 2018 e deixou o imóvel após cerca de três horas de negociação com a Polícia Militar. A ocupação do apartamento que motivou a condenação e prisão do petista foi um protesto organizado pela Frente Povo Sem Medo, que abriga, entre outros movimentos sociais, o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST).

Leia também: Lula passa primeiras noites preso e militância promete vigília na sede da PF 

Além de ocuparem o apartamento, situado no Edifício Solaris, na Praia das Astúrias, os manifestantes estenderam faixas na sacada do tríplex com os dizeres "Povo Sem Medo", "Se é do Lula, é nosso" e "Se não é, por que prendeu?".

Aocupação foi anunciada pelo líder do MTST, Guilherme Boulos , então pré-candidato à Presidência da República pelo PSOL. " MTST e a Povo Sem Medo acabam de ocupar o triplex do Guarujá, atribuído a Lula por Moro. Se é do Lula, o povo poderá ficar. Se não é, por que então ele está preso?", escreveu Boulos em sua conta no Twitter. 

Lula foi condenado por corrupção e lavagem de dinheiro em junho do ano passado, em primeira instância no caso tríplex . E, no início deste ano, a condenação foi confirmada em segunda instância, com pena de 12 anos e 1 mês de reclusão. O ex-presidente petista está encarcerado na sede da Polícia Federal em Curitiba em local especial.

    Leia tudo sobre: Lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.