Tamanho do texto

Em delação revelada pelo jornal Folha de S. Paulo, Léo Pinheiro revela que José Ticiano Dias Toffoli recebeu auxílio em caixa 2 quando foi prefeito

José Ticiano Dias Toffoli foi prefeito de Marília; ele é irmão do ministro Dias Toffoli
Câmara Municipal de Marília/Divulgação
José Ticiano Dias Toffoli foi prefeito de Marília; ele é irmão do ministro Dias Toffoli


Principal delator contra Lula no caso do sítio de Atibaia, o ex-presidente da OAS, Léo Pinheiro, afirmou que pagou propina por meio de caixa dois para o ex-prefeito de Marília José Ticiano Dias Toffoli (PT) na campanha do político à prefeitura da cidade em 2012. José Ticiano é irmão do atual presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Toffoli. A delação premiada foi divulgada nesta terça-feira (5) pelo jornal Folha de São Paulo .

Leia também: Léo Pinheiro contradiz Lula e diz que obras no sítio foram pedidas pessoalmente

Segundo a delação, Léo Pinheiro conheceu José Ticiano Dias Toffoli em um jantar em Brasília junto de Antonio Carlos Guilherme de Souza Vieira, então presidente do DAEM (Departamento de Água e Esgoto de Marília). Ali teria começado uma relação que envolvia pagamento de caixa dois em troca de benefícios a OAS em obras na cidade em que o candidato do PT seria prefeito.

“Antonio Carlos relatou que estava com receio de perder o recurso de uma obra, caso não fosse utilizado para prosseguimento da obra do esgotamento sanitário. Em face disso, respondi que a OAS iria realizar um estudo para analisar a viabilidade econômica da retomada da mencionada obra e que, em seguida, a empresa lhe daria um posicionamento”, disse o empreiteiro em delação revelada pelo jornal Folha de S. Paulo .

Leia também: Um dos donos da OAS, César Filho se entrega à PF na 56ª fase da Lava Jato

Após a OAS se apresentar para continuar a obra veio, segundo o delator, o pedido de propina para que Mario Bulgarelli (PDT) renunciasse ao cargo de prefeito, passando o comando a seu vice, José Ticiano. De acordo com Léo Pinheiro , R$ 1 milhão foi passado ao ex-prefeito e, assim, a licitação foi ganha pela empreiteira em seguida.

Com a licitação ganha, a empreiteira comandou uma obra de afastamento do esgoto, evitando que o mesmo fosse descartado nas bacias do córrego do Barbosa e córrego do Pombo, em Marília.

Leia também: Em novos depoimentos à PF, empreiteiras citam repasses ao PSDB em São Paulo

Apesar do auxílio da OAS, José Ticiano Dias Toffoli não foi eleito na campanha de 2012, sendo derrotado por Vinícius Camarinha (PSB), que, segundo Léo Pinheiro, também recebeu aporte da empreiteira por meio de caixa dois.