Tamanho do texto

Presidente teve "sinais de movimentos", mas segue com alimentação por via endovenosa, segundo porta-voz; Bolsonaro acompanha Dia D no Congresso

Presidente Jair Bolsonaro foi submetido a terceira cirurgia após sofrer facada no abdômen
Reprodução/Twitter
Presidente Jair Bolsonaro foi submetido a terceira cirurgia após sofrer facada no abdômen

O presidente Jair Bolsonaro (PSL),  submetido à sua terceira cirurgia na segunda-feira (28), já apresenta "sinais de início dos movimentos intestinais". A informação foi transmitida no fim da tarde desta sexta-feira (1ª) pelo porta-voz da Presidência, Otávio Santana do Rêgo Barros, segundo o qual Bolsonaro tem "evolução muito positiva".

Apesar do princípio de recuperação das funções intestinais após a retirada da bolsa de colostomia (adotada após Jair Bolsonaro sofrer facada no abdômen, em setembro), o presidente segue com alimentação exclusivamente por via endovenosa. 

"Ele segue sem infecção ou outras complicações e realiza fisioterapia respiratória e motora, inclusive com períodos mais alongados fora do quarto", anunciou o porta-voz . "É uma evolução muito positiva. Nós estamos felizes, estamos satisfeitos. E a nossa esperança é de que, muito em breve, o nosso presidente retorne a Brasília e dê continuidade ao seu trabalho na direção da nossa nação, por meio do Poder Executivo."

Hoje cedo, o  presidente participou de reunião por videoconferência com o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Heleno. De acordo com Rêgo Barros, a conversa serviou para "tratar de assuntos internos do Palácio do Planalto".

O presidente também recebeu, em seu quarto no Hospital Albert Einstein , em São Paulo, uma dupla musical que atua no centro médico para animar os pacientes. Rêgo Barros explicou que Bolsonaro pediu a música "Evidências", da qual ele "gosta muito", e se emocionou com a reprodução da canção de Chitãozinho & Xororó.

Leia também: Primeiro mês de governo Bolsonaro é marcado por otimismo econômico e polêmicas

Questionado sobre o Dia D no Congresso, em que serão escolhidos os novos presidentes do Senado e da Câmara, o porta-voz do Planalto não quis comentar a possível candidatura de Renan Calheiros (MDB-AL) e disse que Bolsonaro deve cumprimentar os vencedores por meio de nota oficial e, "provavelmente, também por meio do Twitter".

Rêgo Barros também falou nesta tarde sobre as ações do governo federal em relação à tragédia de Brumadinho (MG). Segundo ele, foi determinado que as vistorias às barragens de todo o País deverão ser concluídas neste semestre, tendo os órgãos fiscalizadores já sido informados sobre o novo prazo.

Leia também: Novo presidente da OAB já pediu cassação de Bolsonaro por "apologia à ditadura"

Por fim, o porta-voz da Presidência disse que Jair Bolsonaro tem previsão de viagem aos Estados Unidos em março e voltou a evitar fixar um prazo para deixar o hospital. "Ele terá alta quando estiver plenamente apto", limitou-se a dizer.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.