Tamanho do texto

Ex-governador do Paraná foi preso preventivamente na manhã desta sexta-feira por suspeita de corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa

Beto Richa (PSDB) foi preso na manhã desta sexta-feira (25)
Reprodução/Facebook
Beto Richa (PSDB) foi preso na manhã desta sexta-feira (25)

Em nota enviada à jornalistas, os advogados do ex-governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), questionaram a prisão em caráter preventiva do tucano. Richa foi detido na manhã desta sexta-feira (25), em Curitiba, por suspeitas de corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa na concessão de rodovias estaduais.

Leia também: Beto Richa, ex-governador do Paraná, é preso pela segunda vez

Segundo a defesa de Beto Richa , os fatos apresentados pelo Ministério Público Federal (MPF) no pedido de prisão preventiva acolhido pelo juiz federal substituto Paulo Sérgio Ribeiro, da 23ª Vara Federal de Curitiba, são “antigos”.

Os advogados sustentam que os fatos apresentados pelos procuradores da República foram devidamente esclarecidos, “não restando qualquer dúvida quanto à regularidade de todas as condutas praticadas” pelo ex-governador , no exercício de suas funções.

“Mais que isso. Os fatos ora invocados já foram anteriormente utilizados, na decretação das medidas cautelares expedidas contra o ex-governador”, sustenta a defesa, referindo-se ao primeiro mandado de prisão preventiva cumprido contra Richa, em setembro de 2018, quando o ex-governador passou menos de três dias no Regimento da Polícia Montada, da Polícia Militar, em Curitiba.

“Cumpre registrar que o Supremo Tribunal Federal, ao julgar referidas medidas, reconheceu a flagrante ilegalidade na ordem prisão decretada [em setembro]”, acrescentam os advogados, argumentando que a nova prisão, hoje, “afronta o quanto decidido pelo STF com o evidente objetivo de desrespeitar os julgamentos proferidos pela Suprema Corte, sobre o tema”, tendo baseado-se em “ilações do MPF, exclusivamente suportadas em falsas e inverídicas informações prestadas em sede de colaboração premiada, por criminosos confessos."

Leia também: Irmão e primo de Beto Richa são alvos de nova fase da Lava Jato no PR

Beto Richa (PSDB), foi preso na manhã desta sexta-feira (25) após ser alvo de prisão preventiva. De acordo com a Justiça Federal, o tucano foi detido em sua casa, em Curitiba, por volta das 7h.  A prisão do ex-governador foi decretada pelo juiz Paulo Sérgio Ribeiro, da 23ª Vara Federal de Curitiba, após um pedido do Ministério Público Federal (MPF). Esta é a segunda vez que o político foi detido.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas