Tamanho do texto

Daniel Silveira respondeu ao filósofo apontado como 'guru de Bolsonaro' após ser chamado de "analfabeto político" ao participar de viagem à China

Daniel Silveira fez duras críticas ao filósofo Olavo de Carvalho
Reprodução/Facebook
Daniel Silveira fez duras críticas ao filósofo Olavo de Carvalho


Considerado pela própria bancada do PSL como um dos “gurus” do presidente Jair Bolsonaro, o filósofo e escritor Olavo de Carvalho despertou a ira de parlamentares eleitos pelo partido que foram criticados após viagem à China na semana passada. Chamados de “analfabetos políticos” em um vídeo de Carvalho, alguns resolveram responder na mesma moeda, caso de Daniel Silveira.

Leia também: Bolsonaro fala em restabelecer confiança do mundo no País "sem viés ideológico"

Eleito pelo Rio de Janeiro com 31.789 votos, Daniel Silveira ficou famoso, durante as eleições, por posar quebrando a placa que leva o nome de Marielle Franco, ex-vereadora do PSOL assassinada a tiros em 2018. Um dos integrantes da comitiva brasileira na China, ele gravou um vídeo em que usa palavras de baixo calão e xingamentos contra Olavo de Carvalho, quem, apesar das críticas, chama de “mestre”.


“O Olavo de Carvalho, o guru da sapiência humana, falou um monte de besteira. Vou usar um termo que você mesmo usa quando está com raiva: vá para p*. Você não é o limite da sapiência. Você não é a referência intelectual onipresente, onisciente e a mais sábia”, diz Silveira.

Em outro trecho do vídeo, o futuro deputado, bastante irritado, afirma que é complicado fazer com que as pessoas entendam a verdade e que parece que o “brasileiro só funciona na porrada”.

Leia também: Bolsonaro diz que vai a Davos "apresentar Brasil diferente e livre da corrupção"

“O brasileiro parece que só funciona na porrada e o bandido na bala. Fomos convidados pela embaixada do Brasil na China e viemos aprender soluções para o agronegócio, portuária, de aviação, automobilística”.

O convite para que representantes do PSL visitassem a China partiu do governo chinês com interferência da embaixada brasileira em novembro de 2018, um mês após a eleição de Jair Bolsonaro. Todas as passagens, bem como hospedagem e transporte foram pagos pela embaixada.

Leia também: Sindicalistas suíços pedem "morte a Bolsonaro" em ato contra Fórum Econômico

No seu vídeo, Olavo de Carvalho foi bastante enfático nas críticas aos parlamentares, lembrando que a China vive sob um regime comunista e que a empresa chinesa de tecnologia, Huawei, é investigada por fornecer tecnologia para a Coreia do Norte.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas