Tamanho do texto

Em meio à maior paralização da história do governo americano, Trump brinca a respeito de comparação e diz que Bolsonaro é "um novo grande líder". Veja

Donald Trump não veio à cerimônia de posse de Bolsonaro, mas citou o presidente brasileiro em discurso nesta segunda-feira (14)
Reprodução
Donald Trump não veio à cerimônia de posse de Bolsonaro, mas citou o presidente brasileiro em discurso nesta segunda-feira (14)

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, mencionou o novo presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (PSL), em discurso realizado nesta segunda-feira (14) na convenção da American Farm Bureau Federation diante de agricultores, agropecuaristas e fazendeiros americanos em Nova Orleans, ao brincar com as comparações feitas entre eles. Em meio a maior paralização da história do governo americano, Trump defendeu a política comercial de seu governo e disse que "a carne bovina americana está sendo enviada ao Brasil pela primeira vez desde 2003."

Leia também: Bolsonaro deve assinar novo decreto presidencial sobre posse de armas hoje

Na sequência do discurso, o presidente dos Estados Unidos chamou Bolsonaro de " Donald Trump da América do Sul". "Eles vão ter um novo grande líder, dizem que é o Donald Trump da América do Sul. Vocês acreditam?", perguntou Trump antes de completar "e ele [Bolsonaro] está feliz [com a comparação]. Se não estivesse, eu não gostaria do País, mas eu gosto", declarou o presidente norte-americano para arrancar risos e aplausos da plateia.

O presidente Jair Bolsonaro , por sua vez, ainda não se pronunciou sobre a declaração de Donald Trump. Ele que costuma comentar os assuntos que lhe envolvem através de sua conta oficial no Twitter, segue comentando ainda sobre a prisão do italiano Cesare Battisti, capturado na Bolívia e extraditado para seu país natal depois que o presidente brasileiro tornou a pauta uma prioridade nacional e acelerou o processo.

Leia também: Battisti ficará na solitária durante um ano em penitenciária na Sardenha

De qualquer forma, a declaração de Trump deve cair como uma luva nas intenções de Bolsonaro de reaproximar os dois países no que diz respeito ao comércio internacional. O presidente brasileiro costuma dizer que quer fazer política externa "sem viés ideológico", mas na prática critica o comércio brasileiro com a China que se tornou o maior parceiro comercial do Brasil nos últimos anos. Segundo o presidente, os Estados Unidos devem voltar a ser o maior comprador brasileiro.

Do lado norte-americano, o presidente Donald Trump segue tendo problemas para conseguir aprovar o novo orçamento do governo para 2019 já que ele faz questão de reservar US$ 11 bilhões para a construção de um muro na fronteira dos Estados Unidos com o México, mas os democratas, partido de oposição ao presidente norte-americano, domina o Congresso e tem travado a aprovação da pauta que, na prática, paraliza vários setores do país.

Leia também: Trump e impasse por muro levam governo dos EUA ao mais longo apagão da história

    Leia tudo sobre: Donald Trump
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas