Tamanho do texto

Cirurgia do presidente da República estava marcada para a semana anterior, mas foi adiada por conta da realização do Fórum Mundial Econômico

Jair Bolsonaro fará a cirurgia de retirada da bolsa de colostomia no próximo dia 28
Marcos Corrêa/PR - 11.1.19
Jair Bolsonaro fará a cirurgia de retirada da bolsa de colostomia no próximo dia 28

A cirurgia para retirada da bolsa de colostomia do presidente Jair Bolsonaro será realizada no dia 28 de janeiro. A informação é do cirurgião Antônio Luiz Macedo, que confirmou a data em entrevista à rádio Jovem Pan .

Leia também: Bolsonaro diz que vai a Davos "apresentar Brasil diferente e livre da corrupção"

O procedimento estava marcado inicialmente para o dia 19, mas acabou sendo adiada por conta da presença de Bolsonaro no Fórum Mundial Econômico, que acontecerá em Davos, na Suíça, entre os dias 22 e 25 de janeiro. A ida ao evento representará a primeira viagem oficial do novo presidente da República.

Bolsonaro será acompanhado na viagem pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, que pretende erguer a bandeira do combate à corrupção para transmitir a imagem de que o governo está criando um ambiente seguro para investimentos internos.

No período em que Jair Bolsonaro estiver ausente para a viagem internacional, a Presidência da República será ocupada, pela primeira vez, pelo vice, Hamilton Mourão (PRTB). O general também assumirá o posto de chefe do poder executivo durante a internação do presidente.

Cirurgia de Bolsonaro já havia sido adiada

Bolsonaro faria a retirada da bolsa de colostomia em dezembro, mas o procedimento foi adiado pelos médicos
Reprodução
Bolsonaro faria a retirada da bolsa de colostomia em dezembro, mas o procedimento foi adiado pelos médicos

 O procedimento da retirada da bolsa de colostomia de Bolsonaro deveria ter sido realizado no dia 12 de dezembro, mas acabou adiado pelos especilistas do Hospital Israelita Albert Einstein após bateria de exames pré-operatórios. 

Leia também: Cirurgia de remoção da bolsa de colostomia de Bolsonaro é adiada para 2019

segundo o boletim, apesar de Bolsonaro "encontrar-se bem clinicamente e manter ótima evolução médica", os exames de imagem "ainda mostram inflamação do peritônio e processo de aderência entre as alças intestinais".

Dessa forma, a equipe médica multiprofissional do hospital responsável pelo caso clínico do presidente eleito decidiu postergar a realização da reconstrução do trânsito intestinal e a remoção da bolsa de colostomia  que vai exigir uma abertura na incisão na qual Bolsonaro levou 35 pontos.

A bolsa de colostomia foi colocada em Bolsonaro durante uma  cirurgia em decorrência de complicações ocasionadas a partir de um  atentado à faca que o então candidato à Presidência sofreu durante um ato de campanha nas ruas de Juiz de Fora, Minas Gerais, em 6 de setembro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas