Tamanho do texto

Suely Araújo entende que Jair Bolsonaro fará uma troca no comando do instituto e decidiu deixar o comando após contratos serem questionados

Suely Araújo pediu exoneração da presidência do Ibama
Fábio Rodrigues Pozzebom/ABr
Suely Araújo pediu exoneração da presidência do Ibama


A Presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Suely Araújo, pediu exoneração do cargo nesta segunda-feira (07). A atitude é uma resposta após o órgão ser questionado pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, sobre o alto gasto com alugueis de caminhonetes.

Leia também: "Perseguição ideológica não é saudável", diz futuro ministro do Meio Ambiente

No ‘pente-fino’ que está fazendo a pedido do presidente  Jair Bolsonaro sobre o uso de recursos federais em sua pasta, Ricardo Salles descobriu que o Ibama gastou, apenas com pagamento de alugueis de carros, mais de R$ 28 milhões. O valor foi motivo de questionamento do ministro através do Twitter.

Mostrando uma foto do Diário Oficial da União, Salles escreveu: “Quase 30 milhões de reais em alugueis de carros...”


Na nota em que anuncia que sua saída, Suely Araújo afirma que o ministro do Meio Ambiente mostrou desconhecimento do contrato e de como ele foi feito com licitação.

Leia também: Não houve "nenhuma anomalia" com gastos no final do governo Temer, diz Padilha

“A acusação sem fundamento evidencia completo desconhecimento da magnitude do Ibama e das suas funções. O valor estimado inicialmente para esse contrato era bastante superior ao obtido no fim do processo licitatório, que observou com rigor todas as exigências legais e foi aprovado pelo TCU”, disse Suely.

Leia na íntegra o pedido de exoneração de Suely Araújo:

Excelentíssimo Senhor Ministro,

1. Cumprimentando-o cordialmente, sirvo-me do presente para formalizar minha solicitação de exoneração do cargo de Presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis.

2. Considerando que a indicação do futuro Presidente do instituto, Sr. Eduardo Bim, já foi amplamente divulgada na imprensa e internamente na Instituição ainda em 2018, antes mesmo do início do novo Governo, entendo pertinente o meu afastamento do cargo permitindo assim que a nova gestão assuma a condução dos processos internos desta Autarquia.

3. Assim, comunico que a partir de amanhã, 08 de janeiro, não exercerei mais as funções de Presidente. Nesse sendo, solicito que quando da publicação do ato, nele conste que trata-se de exoneração a pedido com efeitos a partir de 08/01/2019.

Respeitosamente, Suely Araújo

A presidente do Ibama estava no comando do instituto desde que Michel Temer assumiu a presidência, em 2016. Como o cargo é por indicação, a tendência é que Jair Bolsonaro optasse pela substituição.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas