Tamanho do texto

Senadora afirmou que valor está abaixo do que foi aprovado pelo Congresso e ex-prefeito usou ironia para esclarecer sua crítica ao novo presidente

Gleisi Hoffmann e Fernando Haddad usaram o twitter para criticarem o decreto de Jair Bolsonaro fixando o salário mínimo em R$ 998,00
Ricardo Stuckert
Gleisi Hoffmann e Fernando Haddad usaram o twitter para criticarem o decreto de Jair Bolsonaro fixando o salário mínimo em R$ 998,00


Principais lideranças do PT desde que o ex-presidente Lula está preso em Curitiba, a senadora Gleisi Hoffmann e o ex-ministro Fernando Haddad foram duros na crítica ao decreto do presidente Jair Bolsonaro que fixou o salário mínimo em R$ 998 na última terça-feira (1). Na visão dos petistas, o valor prejudica o povo brasileiro.

Leia também: "Não vamos baixar a cabeça", escreve Lula em mensagem de Ano-Novo

De acordo com Gleisi, o valor aprovado pelo Congresso para o salário mínimo, ainda no governo Temer, foi de R$ 1006, valo abaixo do fixado por Bolsonaro, ainda que próximo.

“Começou: primeiro ato de Bolsonaro na presidência é assinar decreto com novo salário mínimo abaixo do que foi aprovado pelo Congresso. Era pra ser R$ 1.006,00. Isso faz muita diferença pra quem ganha pouco!”, escreveu a senadora em seu Twitter.

Opositor de Jair Bolsonaro nas eleições, sendo derrotado no segundo turno, Fernando Haddad usou da ironia para criticar o decreto presidencial. O ex-prefeito de São Paulo citou a frase do presidente, que afirmou que o Brasil estava se livrando do socialismo.

Leia também: PT e PSOL anunciam boicote à cerimônia de posse de Bolsonaro

“Povo começou a se libertar do socialismo: salário mínimo previsto de R$ 1006,00 foi fixado em R$ 998,00. Sem coitadismo. Selva!”, escreveu, também usando o Twitter.

Fernando Haddad também usou a ironia para comentar uma outra ação de Bolsonaro, que transferiu, nesta quarta-feira (2), a demarcação de terras indígenas e quilombolas para o Ministério da Agricultura.

“Ministério do Agronegócio cuidará de reforma agrária e da demarcação de terras indígenas e quilombolas. Vamos torcer para dar certo”, disse o ex-ministro da Educação nos governos Lula.

Salário mínimo decretado por Bolsonaro já é válido para janeiro

Salário mínimo a partir de janeiro é de R$ 998,00
Thinkstock/Getty Images
Salário mínimo a partir de janeiro é de R$ 998,00


Com o decreto assinado no seu primeiro dia como presidente, o valor do mínimo já é válido para o pagamento salarial a partir de janeiro.

O mínimo é usado como referência para os benefícios assistenciais e previdenciários. Pela regra, o salário mínimo deve ser corrigido pela inflação do ano anterior, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e dos serviços produzidos no país) dos dois anos anteriores.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.