Tamanho do texto

Presidente eleito fará reunião com o primeiro-ministro de Israel na próxima sexta-feira (28) para discutir mudança da embaixada para Jerusalém

Premiê de Israel, Benjamin Netanyahu vai se encontrar com Bolsonaro na próxima sexta-feira (28)
Kobi Gideon/GPO
Premiê de Israel, Benjamin Netanyahu vai se encontrar com Bolsonaro na próxima sexta-feira (28)

Quatro dias antes de tomar posse, o presidente eleito Jair Bolsonaro vai se reunir com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu , em um almoço no Forte de Copacabana, zona sul do Rio de Janeiro.

 Leia também: Premiê de Israel, Netanyahu não deve mais ir à posse de Jair Bolsonaro

O encontro será na próxima sexta-feira (28), um dia antes da mudança de Bolsonaro e da família para Brasília. O principal assunto que deverá ser discutido pelos dois líderes será a provável mudança da embaixada brasileira de TelAviv para Jerusalém.

De acordo com o Consulado de Israel no Rio de Janeiro, Netanyahu não vai participar da posse do presidente eleito no próximo dia 1º de janeiro, em Brasília. O primeiro-ministro israelense antecipou seu retorno a Israel , após a decisão do país de antecipar as eleições gerais de novembro para 9 de abril de 2019.

O Parlamento israelense, o Knesset, deve ser dissolvido, dando início às campanhas. A decisão vem em um momento em que os partidos que formam a base discutem um projeto que fixa novas regras para o serviço militar. No seu quarto mandato, Netanyahu comanda a coalizão que reúne 61 parlamentares do total de 120 do Knesset (parlamento israelense).

 Leia também: Ensaio para a posse de Bolsonaro tem desfile de figurantes em carro aberto

Depois do almoço com Bolsonaro, Netanyahu participa da cerimônia religiosa conhecida como Shabat, na sinagoga Kehilat Yaacov, em Copacabana. No domingo (30), ele concede entrevista coletiva no Rio de Janeiro.

Bolsonaro pretende transferir a Embaixada do Brasil em Israel de TelAviv, capital administrativa, para Jerusalém, em um aceno para o governo israelense contra a palestina.

A cidade de Jerusalém está no centro de controvérsias e disputas entre palestinos e israelenses, já que ambos os povos reivindicam o local como sagrado. No esforço de evitar o agravamento da situação, os países consideram TelAviv como a capital administrativa de Israel e é lá que ficam as representações diplomáticas internacionais.

No entanto, o presidente dos Estados Unidos Donald Trump optou por mudar a embaixada norte-america em Israel. A nova sede, em Jerusalém, foi inaugurada em maio deste ano. Bolsonaro pretende seguir os passos do republicano. Apenas outros dois países tem suas embaixadas em Jerusalém: Paraguai e Guatemala.

Leia também: Após atentado, posse de Bolsonaro terá esquema de segurança máxima

Jair Bolsonaro afirmou que enviará seu futuro ministro de Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, para o estado de Israel em janeiro para visitar estações de dessalinização de água. De acordo com o presidente eleito, uma parceria entre os dois países.

Ao confirmar o encontro com Netanyahu , Bolsonaro criticou a imprensa brasileira por noticiar que o líder israelense não compareceria à cerimônia de posse do brasileiro. “Infelizmente, o objetivo de alguns é desinformar e confundir como se o encontro tivesse sido desfeito”, escreveu o presidente eleito em suas redes sociais.