Tamanho do texto

Cerimônia ficou parada durante 20 minutos até que a polícia militar tirasse jornalistas e seguranças do palco após troca de empurrões entre deputados

Alexandre Frota e Jesus dos Santos trocaram empurrões durante diplomação
Reprodução
Alexandre Frota e Jesus dos Santos trocaram empurrões durante diplomação


A diplomação do governador eleito João Doria (PSDB), seu vice Rodrigo Garcia (DEM), senadores e deputados federais e estaduais eleitos por São Paulo realizada nesta terça-feira (18) foi marcada por briga e confusão na Sala São Paulo, no centro da capital paulista. Integrante da bancada ativista do PSOL, Jesus dos Santos trocou empurrões com Alexandre Frota, do PSL.

Leia também: Alexandre Frota denuncia a presença de um "petista" na equipe de transição

Devido à confusão envolvendo Alexandre Frota com filiados do PSOL, o presidente do TRE-SP, desembargador Carlos Eduardo Caduro Padin, pediu a interrupção do evento por 20 minutos até que todos se sentassem. Após os empurrões, políticos, jornalistas e policiais invadiram o palco para apartar.


Tudo começou quando Jesus dos Santos , que pertence a bancada ativista do PSOL subiu ao palco para participar da diplomação junto da ‘cabeça da chapa’ do mandato coletivo de Monica Seixas . Imediatamente, a plateia começou a gritar “fascistas não passarão”. Entendendo que apenas Monica deveria ser diplomada e alegando que Jesus estava apenas tumultuando, Frota, que foi eleito deputado federal, tentou impedir que o filiado psolista continuasse no palco.

Leia também: Alexandre Frota é acusado de manipular índio para apoiar Bolsonaro; ex-ator nega

Segundo Monica Seixas, havia um acordo com o TRE para que todos os nove integrantes do mandato coletivo subissem ao palco para receber a diplomação. Segundo ela, apenas Jesus foi barrado por seguranças de Frota.

Em seu twitter, o ator eleito pelo PSL deu sua versão sobre a briga e disse que ninguém do PSOL vai conseguir o calar.

“Está para nascer alguém do PSOL  que vai me calar. Tentaram criar na festa, mas tiveram que correr. Comigo não”, escreveu o deputado federal eleito.

Deputados do PSL presentes ao evento se solidarizaram com Frota e chamaram Jesus dos Santos de bandido. Segundo eles, apenas bandidos sobem ao palco para causar tumulto e confusão.

Leia também: Com sangue, suor e lágrimas: as eleições mais polêmicas da história do Brasil

“Parabéns Frota. Esse pessoal só faz isso porque conta com os "pacifistas de plantão", sua atitude vai de encontro com a justiça. E eles que se cuidem porque ano que vem haverá vários Frotas no Congresso”, escreveu Eduardo Bolsonaro nas redes sociais.

Apesar das discussões, Carlos Eduardo Caduro Padin conseguiu encerrar a diplomação. Com os diplomas em mãos, os deputados estão autorizados a tomar posse da próxima legislatura, já que foram aprovados pela Justiça Eleitoral.

A bancada ativista do PSOL estará presente na Assembleia Legislativa de São Paulo e, portanto, não terá contato direto com Alexandre Frota , eleito deputado federal.