Tamanho do texto

Garotinho está protegido por um habeas corpus que permite que ele siga em liberdade até o trânsito em julgado ou discussão da condenação no Supremo

Anthony Garotinho teve seu recurso de condenação negado no TRF-2
Divulgação/ Facebook
Anthony Garotinho teve seu recurso de condenação negado no TRF-2


O ex-governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho, teve seu recurso contra a  condenação de formação de quadrilha negado nesta terça-feira (4) pelo Tribunal Regional da Segunda Região (TRF-2). Apesar da decisão, o político vai seguir em liberdade, protegido por um habeas corpus concedido pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski em outubro.

Os três desembargadores do Tribunal consideraram o recurso de Anthony Garotinho insuficiente para mudar a condenação e rejeitaram os embargos de declaração. Agora, a defesa pode recorrer ao STF e ao Supremo Tribunal de Justiça (STJ).

O ex-governador foi condenado a quatro anos e seis meses de prisão por ter atuado em grupo criminoso que apoiou as ações do bicheiro Rogério de Andrade durante o governo de Rosinha Garotinho, sua esposa. Na época, ele exercia o cargo de secretário de segurança.

A sentença saiu em setembro deste ano, período em que o político estava na corrida eleitoral pelo governo do Rio de Janeiro pelo PRP. Com a condenação, Garotinho se tornou ficha-suja e foi proibido de continuar na eleição. Pesquisas da época o colocavam em segundo lugar, tecnicamente empatado com Romário (PODE).

Com o fim dos recursos em segundo instância, o ex-governador correria o risco de voltar para a prisão, mas está amparado por um habeas corpus concedido em outubro que determina que o regime semiaberto só pode ser iniciado quando ocorrer o trânsito em julgado ou após uma análise ampla do Supremo.

Além de Anthony Garotinho, outros três governadores do Rio já foram presos

O ex-governador Anthony Garotinho ficou preso no Complexo Penitenciário de Gericinó
Severino Silva / Agência O Dia
O ex-governador Anthony Garotinho ficou preso no Complexo Penitenciário de Gericinó

 Apesar de condenado, Garotinho segue em sua casa, em liberdade. O ex-governador, porém, já foi conduzido para a prisão em novembro de 2017, junto com sua esposa e também ex-governadora, Rosinha Garotinho. Os dois eram acusados de crimes eleitorais que incluíam corrupção, concussão e participação em organização criminosa.

 Os dois governadores do Estado seguintes estão presos. Sérgio Cabral cumpre pena de mais de 197 anos na penitenciária de Bangu e o atual comandante do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, está em prisão preventiva .

 Além de negar todas as acusações contra si, Anthony Garotinho alega que é vítima de um sistema corrupto que quer o manter preso para que ele não denuncie falcatruas no setor público. O político está escrevendo um livro em que promete comprometer Sérgio Cabral e outros parlamentares.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.