Tamanho do texto

Presidente eleito afirmou que deixar indígenas em terras demarcadas é uma forma de afastar o índio do restante da sociedade: "São humanos como nós"

Jair Bolsonaro defende uma nova política de proteção aos índios
Divulgação/ Governo de Transição
Jair Bolsonaro defende uma nova política de proteção aos índios


Jair Bolsonaro não concorda que índios devam viver em reservas demarcadas como se fossem animais em zoológico. Em declaração nesta sexta-feira (30), o presidente eleito afirmou que os indígenas são seres humanos iguais ao branco e ao negro e, portanto, precisam receber o mesmo tratamento digno do restante da população.

Leia também: Bolsonaro ironiza Lula após carta com críticas a Moro e à "perseguição" ao PT

O presidente eleito estava respondendo uma questão sobre a saída do Brasil do Acordo de Paris, que entre outras exigências, obriga o país a respeitar e demarcar as terras dos índios no território nacional.

"Sobre o acordo de Paris, nos últimos 20 anos, eu sempre notei uma pressão externa – e que foi acolhida no Brasil – no tocante, por exemplo, a cada vez mais demarcar terra para índio, demarcar terra para reservas ambientais, entre outros acordos que no meu entender foram nocivos para o Brasil. Ninguém quer maltratar o índio. Agora, veja, na Bolívia temos um índio que é presidente. Por que no Brasil temos que mantê-los reclusos em reservas, como se fossem animais em zoológicos?", questionou Bolsonaro .

O presidente eleito afirmou que o índio ainda está em “situação inferior a nós”, o que não pode ser aceito pelo próximo governante do Brasil. A demarcação de terras, segundo Bolsonaro, só auxilia nessa distinção.

Leia também: Bolsonaro diz que conta com Magno Malta no governo, mas não como ministro

"O índio é um ser humano igualzinho a nós. Quer o que nós queremos, e não podemos usar o índio, que ainda está em situação inferior a nós, para demarcar essa enormidade de terras, que no meu entender poderão ser, sim, de acordo com a determinação da ONU, novos países no futuro. Justifica, por exemplo, ter a reserva ianomâmi, duas vezes o tamanho do estado do Rio de Janeiro, para talvez, 9 mil índios? Não se justifica", disse.

Auxílio ao índio dentro do Ministério do Meio Ambiente

Jair Bolsonaro quer ministro do Meio Ambiente valorizando os índios
Flickr/ Governo de Transição
Jair Bolsonaro quer ministro do Meio Ambiente valorizando os índios


Na mesma entrevista, Jair Bolsonaro afirmou que ainda não pode anunciar o próximo ministro do Meio Ambiente, mas que já tem cerca de “meia dúzia de nomes em cima da mesa”. O capitão reformado confirmou que temas como o respeito aos indígenas serão tratados na pasta.

O presidente eleito disse ainda que o próximo ministro do Meio Ambiente estará alinhado com os pensamentos do governo, que pretende acabar com o que ele chamou de “indústria das multas” ambientais.

Leia também: Bolsonaro rebate Macron e diz que não fará acordos que prejudiquem agronegócio

 "Quero preservar, mas não dessa forma que vêm fazendo nos últimos anos. Dessas multas no campo, 40% vai para ONG. Isso vai deixar de existir”, afirmou.

Críticas aos  índios tomaram conta dos ataques sofridos por Jair Bolsonaro durante a campanha. Seu vice, General Hamilton Mourão, se declarou indígena ao Tribunal Superior Eleitoral.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.