Tamanho do texto

Presidente eleito disse que ao menos R$ 1,5 milhão deve ser destinado ao hospital que o atendeu após facada: "Onde nasci novamente", escreveu

Presidente eleito ficou internado na CTI da Santa Casa de Juiz de Fora, que receberá dinheiro da campanha de Bolsonaro
Flávio Bolsonaro/Divulgação
Presidente eleito ficou internado na CTI da Santa Casa de Juiz de Fora, que receberá dinheiro da campanha de Bolsonaro

As sobras da campanha de Bolsonaro serão doadas à Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora (MG), conforme anunciou nesta terça-feira (30) o presidente eleito. Foi numa das salas de cirurgia daquela unidade que o então presidenciável foi operado momentos após ter sido vítima de ataque a faca , no dia 7 de setembro. 

Pelas redes sociais, o capitão da reserva do Exército voltou a agradecer o atendimento recebido no hospital, onde ele diz ter "nascido novamente". A campanha de Bolsonaro , segundo ele próprio, custou R$ 1,5 milhão, "menos que a metade do que foi arrecadado com doações individuais".

"Pretendo doar o restante para a Santa Casa de Juiz de Fora , onde nasci novamente. Acredito que aqueles que em mim confiaram estarão de acordo. Muito obrigado a todos!", disse o presidente eleito.

Leia também: Facada em Bolsonaro reforçou figura de "mito" e o ajudou a esconder falhas

Sobras da campanha de Bolsonaro podem salvar Santa Casa

Santa Casa de Misericódia de Juiz de Fora receberá sobras da campanha de Bolsonaro
Thomaz Silva/Agência Brasil
Santa Casa de Misericódia de Juiz de Fora receberá sobras da campanha de Bolsonaro

Responsável pelo primeiro atendimento a Bolsonaro após o golpe desferido por Adelio Bispo de Oliveira durante comício em Juiz de Fora, a Santa Casa de Misericórdia da cidade engrossa o número de entidades filantrópicas que relatam dificuldades financeiras. Uma das principais razões apontadas para esse problema é a defasagem da tabela de repasses do Sistema Único de Saúde (SUS).

Mais de 70% dos atendimentos realizados pelo hospital no ano passado foram destinados a pacientes do SUS. Este também foi o caso do tratamento oferecido a Bolsonaro, que ocupou um dos 523 leitos da casa antes de ser transferido para São Paulo (onde passou 23 dias no Hospital Albert Einstein ). A Santa Casa completou 164 anos 30 dias antes de receber o então presidenciável e relata prejuízos relacionados a repasses do SUS que ultrapassam R$ 27 milhões, segundo levantamentos de 2017.

“Nos últimos oito anos [a instituição] conseguiu aumentar o faturamento, apesar do alto custo dos serviços, somado pela não atualização das tabelas do SUS”, destacou, em nota, a assessoria da Santa Casa que recebe pacientes de 96 municípios da macrorregião sudeste de Minas Gerais.

Com título de Hospital de Ensino, em função da formação de novos profissionais pelos programas de residência médica – a Universidade Federal de Juiz de Fora oferece curso de Medicina –, a instituição tem um quadro de 850 médicos e dois centros cirúrgicos. “Por ano, são realizados mais de 780 mil exames de análises e imunologia e 86,2 mil consultas de urgência e emergência, quase 20 mil cirurgias”, informou o órgão.

À Justiça Eleitoral, a campanha de Bolsonaro  reportou ter arrecadado R$ 3,7 milhões por meio de vaquinha virtual, além de R$ 22.200 advindos de doações de pessoas físicas.

*Com reportagem da Agência Brasil