Tamanho do texto

Atos surgem como reação aos protestos de ontem; apoiadores de Bolsonaro adotam título de 'robôs' em resposta irônica a denúncias contra o candidato

Atos de apoio a Bolsonaro ocorrem em resposta a protestos de opositores, registrados ontem
Reprodução/Twitter - @SPD_33
Atos de apoio a Bolsonaro ocorrem em resposta a protestos de opositores, registrados ontem

Milhares de pessoas saíram de casa na manhã deste domingo (21) para participar de manifestações de apoio ao candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL). Foram registrados, até o momento, atos de apoio a Bolsonaro em ao menos dez estados e no Distrito Federal.

Os atos de apoio a Bolsonaro foram agendados pela internet em resposta aos  protestos ocorridos nesse sábado (20) em todo o País contra o candidato do PSL. Há notícia de manifestações ocorrendo desde cedo em São Paulo, no Paraná, em Pernabuco, no Rio de Janeiro, na Bahia, em Alagoas, em Minas Gerais, no Ceará, no Pará e no Distrito Federal.

Em São Paulo, o maior colégio eleitoral do País, ocorreram atos em cidades do litoral e do interior do Estado. Na capital, os manifestantes se reuníram em frente ao Masp, na Avenida Paulista, às 14h desta tarde. Vários políticos que declaram apoio ao presidenciável participaram do ato, dentre eles o recém-eleito senador Major Olímpio (PSL) e o candidato ao Governo do Estado João Doria (PSDB).

Leia também: Bolsonaro cogita mandar Moro ao STF e admite aliança com MDB e DEM, diz Bebianno

Manifestação em Copacabana, no Rio; atos de apoio a Bolsonaro ocorrem em resposta a protestos de opositores
Divulgação/MBL
Manifestação em Copacabana, no Rio; atos de apoio a Bolsonaro ocorrem em resposta a protestos de opositores

As manifestações de ontem tiveram o mote 'Ele Não' e contaram com apoio de grupos da sociedade civil e de partidos políticos que fazem oposição ao capitão da reserva do Exército. As de hoje seguem sistemática semelhante, mas sob um prisma ideológico diretamente oposto: cabos eleitorais de Bolsonaro, como o Movimento Brasil Livre (MBL), ajudam na organização dos atos, que têm como palavras de ordem as hashtags #NasRuasComBolsonaro, #PTNão e 'robôs de Bolsonaro'.

Esse último termo, ao lado do também utilizado 'marqueteiros de Bolsonaro', trata-se de uma resposta irônica à denúncia de que o  candidato tenha se aproveitado de caixa dois de campanha por meio da contratação de empresas que disparam notícias contra o PT pelo WhatsApp.

Ainda sem participar de atos de campanha, Bolsonaro usou suas redes sociais para agradecer o apoio recebido pela sua militância. "Agradeço a todos que estão nas ruas e irão mais tarde em todo Brasil, fazendo lindas manifestações em prol do Brasil e dizendo #PTNão #NasRuasComBolsonaro!", escreveu o presidenciável em sua conta no Twitter. 

"Infelizmente, minha saúde não permite participar de atos públicos. Há cerca de um mês sofri uma tentativa de assassinato por um ex-militante do PSOL. Porém, estou acompanhando os atos e meu coração está com todos vocês! Muito obrigado e que Deus os abençoe!", completou mais tarde.

Nesse sábado (20), o candidato gravou vídeo ao lado do deputado Onyx Lorenzoni (DEM), seu provável ministro da Casa Civil em caso de vitória no segundo turno, para fomentar os atos de apoio deste domingo. "Vamos nos unir para varrer do mapa o comunismo do Brasil", disse Bolsonaro no vídeo.

Leia também: PF vê lastro de participação do PCC em ataque a Bolsonaro, diz presidente do PSL

Manifestação deste domingo em Salvador; atos de apoio a Bolsonaro ocorrem em resposta a protestos de opositores
Divulgação/MBL
Manifestação deste domingo em Salvador; atos de apoio a Bolsonaro ocorrem em resposta a protestos de opositores