Tamanho do texto

Trezentos profissionais da área, entre eles Janaina Paschoal, assinaram peça de apoio ao candidato do PSL – que segue em campanha nas redes sociais

Jair Bolsonaro deve gravar propaganda na TV neste sábado (20)
Tânia Rêgo/Agência Brasil - 17.10.18
Jair Bolsonaro deve gravar propaganda na TV neste sábado (20)

Trezentos profissionais da área jurídica assinaram manifesto em apoio ao candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro. Dentre os signatários da peça estão a advogada Janaina Paschoal, correligionária de Bolsonaro no PSL e uma das autoras do impeachment contra Dilma Rousseff (PT), e a ex-ministra do Superior Tribunal de Justiça Eliana Calmon. 

A existência da peça foi divulgada pela equipe de advogados de Jair Bolsonaro no dia seguinte a um grupo de 1.200 juristas divulgar manifesto semelhante, só que de  apoio ao adversário do capitão da reserva, o candidato Fernando Haddad (PT).

Bolsonaro deve sair de sua casa neste sábado (20) apenas para gravar participação no programa do horário eleitoral. Nos últimos dias, ele tem permanecido no condomínio onde mora na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

Já nas redes sociais, Bolsonaro e os filhos Flávio, senador eleito pelo Rio de Janeiro, e Carlos, recém-eleito por São Paulo para a Câmara dos Deputados, intensificaram a campanha eleitoral. O presidenciável optou por falar em educação, enquanto os filhos fizeram críticas ao PT.

Em um post fixo em seu Twitter, o candidato do PSL afirmou que 40% dos universitários são “analfabetos funcionais” e defendeu como alternativa para resolver o problema o fortalecimento da educação de base, sem “doutrinação” ou orientação para a militância.

“Ninguém quer saber de aluno sendo doutrinado em sala de aula para se tornar militante. Queremos bons profissionais, isso que dará retorno à sociedade”, disse.

Leia também: PF vê lastro de participação do PCC em ataque a Bolsonaro, diz presidente do PSL

Jair Bolsonaro e as fake news

Presidente do PSL, Gustavo Bebianno, nega existência de esquema de caixa dois na campanha de Jair Bolsonaro
Fernando Frazão/Agência Brasil - 18.10.18
Presidente do PSL, Gustavo Bebianno, nega existência de esquema de caixa dois na campanha de Jair Bolsonaro

Flávio Bolsonaro destacou a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que negou pedido do PT para quebrar os sigilos bancário e fiscal dos supostos envolvidos no  esquema suspeito de disseminar notícias falsas anti-PT via WhatsApp . Mas aceitou abrir ação para investigar as denúncias.

O senador eleito postou um trecho da decisão: “lastreada em matérias jornalísticas, cujos elementos não ostentam aptidão para (...) demonstrar a plausibilidade da tese”.

O presidente do PSL, Gustavo Bebianno, comentou outra decisão do TSE, que decidiu abrir investigação sobre o suposto caixa dois na campanha de Jair Bolsonaro . “Esse tipo de atitude mostra o pouco ou nenhum apreço que esses partidos de esquerda têm pela democracia. No dia 5 de junho deste ano, o TSE promoveu encontro com todos os partidos, a fim de que fosse assinado um termo de compromisso contra fake news. Todos os partidos assinaram, à exceção do PT. Nós estamos esperando a citação, para que apresentemos a nossa defesa, que será muito simples e objetiva: quem não deve, não teme”, disse Bebianno.

*Com informações e reportagem da Agência Brasil